Jovem Crente: Podemos ser influentes como Daniel?

Podemos ser influentes como Daniel?


Hoje em dia, talvez você esteja se cansando das redes sociais e das discussões em volta da política, religião, e outros assuntos que contam com opiniões diversas, de pessoas que muitas vezes não querem apenas conversar. Mas uma coisa é fato, nós somos influenciados! Quando colocamos nosso posicionamento sobre grande parte dos assuntos, ou mesmo quando deixamos de colocá-lo, nós somos movidos por ideias que nós aderimos em algum lugar. Seja por meio da mídia, de livros, ou mesmo de conversas com os amigos, nós somos influenciados. E a questão é que ser influenciado não é uma coisa ruim em si, mas a questão é pelo que, ou mesmo por quem nós somos influenciados!

Quando nós falamos de cristianismo, temos muitas pessoas com opiniões variadas, até opostas. Mas a questão é que o cristianismo não diz respeito à pessoas e às suas respostas, mas fala de Cristo e a resposta que Ele tem por meio de pessoas. Quando olhamos para as Escrituras, vemos um padrão moral e ético a seguirmos. Vemos um Deus tornando-se homem e deixando uma conduta exemplar. Mas é interessante como a bíblia deixa-nos outros exemplos para entendermos como nós podemos ser direcionados por Deus, para influenciados por Ele, influenciarmos pessoas, e assim, influenciarmos a sociedade a nossa volta.

Uma figura bíblica que é conhecida por muitos, mas que poucos param para realmente pensar em sua influência e na forma como Deus agiu através dele, é Daniel. Ele foi um homem que primeiramente foi escolhido por Nabuconodosor por sua competência. Um homem estudado e extremamente competente no que diz respeito às tarefas (Dn 1.3-6). Além disso, nós vemos que ele era um homem piedoso e que tinha uma dependência profunda de Deus. Quando muitos sábios foram chamados para interpretar o sonho do rei, foram mortos porque não conseguiram cumprir com as exigências colocadas por ele, onde deveriam não só interpretar o sonho, mas descobrir o que ele havia sonhado (Dn 2.1-6). Talvez nessa parte você diga que ele foi um homem piedoso e influente porque teve uma boa vida e um bom cargo. Mas temos que lembrar que Daniel não adorou a estátua de Nabucodonosor e foi jogado na fornalha, onde os guardas que o jogaram, morreram pela intensidade do calor (Dn 3.19-30). Depois, nego-se a orar ao rei Dario, acabou sendo incriminado por administradores e altos funcionários, e acabou sendo jogado na cova dos leões. Mesmo assim, permaneceu fiel e saiu ileso, sem nenhum arranhão, Deus o conservou (Dn 6).

Ele passou por momentos bem intensos, mas sempre se destacou pelo comprometimento com seu serviço ao rei, e primeiramente, pelo seu comprometimento com seu servir a Deus. Com isso, ele conseguiu ser um exemplo para cristãos e não cristãos, divulgando o nome de Deus e sendo um instrumento de transformação e personificação dos planos dEle. Se pensarmos nos dias atuais, veremos primeiramente que existe uma extinção de verdadeiros exemplos de cristãos. Pessoas que deixam suas vontades de lado, e procuram combater seus pecados, deixando visível seu comprometimento com Deus através dos estudos, trabalho e família. Alguém que mesmo com tamanha influência da mídia, e uma enorme pressão social, olha para as Escrituras como resposta a tudo que encontra-se a nossa volta. Um cristão que está disposto a passar por dificuldades, a perder a estabilidade, ou não gozar de privilégios para que Deus seja engrandecido, pois sabe que nosso lar não é aqui, descansando no fato de que a vida é dada por Deus, e Ele pode tirá-la a qualquer instante. Nós precisamos entender que “o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Fp 1.21). Se vivermos dessa forma, seremos impactados pela graça de Deus, e impactaremos pessoas, direcionados por esse amor profundo que não apenas fala esporadicamente sobre Deus, mas vive o Evangelho de forma a constranger pessoas e gerar mudança.

Para concluir o meu pensamento, eu deixo algumas perguntas para você pensar na sua postura, levando em conta o próprio exemplo de Daniel. Você tem buscado a Deus de forma tão intencional e profunda, que isso tem criado uma prática consistente com o que a bíblia diz? Você tem tido posições em conversas pessoais, ou nas redes sociais que demonstram o seu comprometimento com Deus e sua Palavra? Você tem deixado valores de lado para agradar pessoas ou conseguir uma maior visibilidade? Você está disposto a ir até as últimas consequências do seu relacionamento com Deus, confiando no soberano cuidado dele?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação