Jovem Crente: Diferente entre os iguais - No mundo, mas não do mundo

Diferente entre os iguais - No mundo, mas não do mundo


Você já parou algum dia para pensar que praticamente todas as pessoas são iguais? Talvez você se pergunte “como assim?”, porque quando olhamos para a humanidade, ao primeiro olhar, as pessoas são muitos diferentes, seja pela religião, estilo de vida, aparência física, nacionalidade, e tantas outras coisas que as distinguem, mas algo no interior as torna iguais: o pecado.


“Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus”. Romanos 3.23

Todos são dominados pelo pecado e se permitem ser iludidos por ele. No fim são todos iguais vivendo uma vida sem propósito e sem significado. Temos que ser diferentes entre os iguais, sendo semelhantes a Cristo e iguais somente a ele!

“Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos”. Romanos 8.29

Uma parábola da vida dos jovens atuais e iguais

A parábola do Filho Pródigo em Lucas 15.11 a 32 ilustra muito bem o que vários jovens e adolescentes tem vivido fora, e dentro, da Igreja. É importante lembrar que o foco não é somente o filho pródigo (gastador), mas também o irmão mais velho.

É triste, mas existem aqueles que como o filho pródigo vivem uma vida mundana distante de Deus. Eles gastam suas vidas procurando status, glória, reconhecimento, sexo fácil, levam uma vida irresponsável e dissoluta. 

Outros numa situação mais lamentável “estão próximos” a Deus Pai. São aqueles que são legalistas e ritualistas, possuem uma fé vazia, e não são capazes de amar ao Pai e muito menos os perdidos que se achegam à Ele.

Mas o que se percebe é que o Senhor está de braços abertos para os que pecaram e perderam a identidade de filhos, e também para os que estão tão “próximos”, mas ainda não entenderam por completo o evangelho, o amor e o perdão, e não se sentem filhos. Qual a diferença dos dois? Nenhuma! São iguais, mas Deus deseja fazê-los diferentes, torná-los semelhantes ao Filho, Jesus Cristo.

A diferença é esta: Cristo em nós.

Somos diferentes entre os iguais quando Cristo está em nós. Assim vivemos como ele viveu e andamos como ele andou, de modo que é impossível as pessoas deixarem de ver algo que se destaca em nós. A nossa vida se torna um reflexo de Cristo, de modo que o nosso falar não é da boca para fora, mas está firmado na autoridade que temos por viver o evangelho em Jesus, e isto faz muita diferença.

É natural amarmos a ele e, consequentemente, amarmos aos perdidos como ele nos amou. Assim aqueles que estão em trevas ao verem tamanha luz se afastarão incomodados ou se aproximarão para serem levados a Cristo, e então da mesma forma se tornarão parecidos com ele e serão diferentes entre os iguais.

“A ele quis Deus dar a conhecer entre os gentios a gloriosa riqueza deste mistério, que é Cristo em vocês, a esperança da glória. Nós o proclamamos, advertindo e ensinando a cada um com toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo.” Colossenses 1.27,28.

Cristo não destrói nossa identidade e personalidade, pelo contrário, ele as molda e as torna visíveis com nossas particularidades, depois exalta a própria semelhança com ele em cada um de nós de maneiras diferentes. Por causa dele, e apesar das nossas imperfeições, somos levados a fazer diferença em um mundo que perece por falta de referências que se destaquem, que apontem para Cristo e levem todos a serem perfeitos como ele é.

Talvez nesta vida passageira não veremos mudanças de maneira completa, mas lutamos e nos empenhamos em ser como ele é. Isto custará nossas vidas, mas não se compara ao que seremos e veremos.

“Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é.” 1 João 3.2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação