Jovem Crente: Repetição não é o problema. Não saber orar sim - Ser Membro

Repetição não é o problema. Não saber orar sim - Ser Membro



É bastante provável que uma parte considerável dos leitores do Jovem Crente participe de uma comunidade cristã há algum tempo. Mesmo quem chegou há menos tempo já deve ter passado pela experiência da repetição. Davi e golias, Daniel e os leões, Paulo e suas viagens, são verdadeiros clássicos que nos fazem suspirar ou pensar ¨de novo…¨.


Eu, no caso, vou à Igreja há 28 anos dos meus 28 anos. Muito pra mim é a ¨milésima vez¨. A gente costuma se enganar e pensar que o que faz a fé crescer é a novidade. Não é. O que nos faz mais parecidos com Cristo é a piedade (obediência). Precisamos ouvir de novo para então tomar como algo sério.

Vamos supor que uma leitora do Jovem Crente tem 22 anos e 10 meses de igreja, ou seja, nasceu ali. Quantas vezes você acha que ela ouviu algo do tipo “ore mais!”? Fiz o cálculo e considerando que essa pessoa só teria algum tipo de memória com 8 anos e tivesse ouvido isso 1 vez por mês, seriam 12 vezes em um ano. São 16 anos de diferença, então teria ouvido cerca de 192 vezes. Mas isso não significa necessariamente que a pessoa sabe como, quando e de que forma é preciso orar. 

É quase certo que são poucos os jovens cristãos que tem uma vida de oração constante, sincera e fervorosa. As coisas pelas quais você ora são aquelas que você confia em Deus para tratar. As coisas que você negligência na oração são aquelas que você confia que pode tratar por conta própria. Tipo Jonas que apenas ¨fugiu¨.

Se eu creio que a oração funciona, se eu creio que a oração é um meio pelo qual o Senhor age, se eu creio que Deus escolhe trabalhar por meio da oração de maneiras poderosas, então é egoísmo da minha parte não orar. E se falta de oração é egoísmo, então fazê-lo é uma das melhores maneiras que posso amar minha igreja, família, amigos e o próximo. O melhor que posso fazer é interceder em favor deles como alguém que participa de algo muito maior do que eu mesmo: a Igreja.

Neemias era um judeu do exílio e tinha a posição de copeiro do rei. Esse servo do rei e do Rei nos ensina algumas coisas sobre oração: 


Perseverança – Neemias 1:1-4; 2:1-3

Neemias recebe a notícia da destruição no mês de quisleu e tem a oportunidade de falar com o rei sobre a situação no mês de Nisã. Quisleu seria um correspondente a um período entre novembro/dezembro, e nisã a março/abril. O tempo entre o recebimento da notícia por Neemias e a oportunidade de falar com o rei foi de impressionantes 4 meses.

Depois de 120 dias ele finalmente teve a oportunidade. Perseverança cria em nós a percepção que Deus não tem nenhuma obrigação para conosco. Perseverança nos lembra do lugar de Deus e do nosso. Criador e criatura. Soberano e servo. Deus não é um motoboy de bênçãos ou um papai noel celestial a nossa disposição.


Reconhecer a grandeza de Deus - Neemias 1:5-6


Neemias não começa a oração com um eloquente discurso a respeito da situação de Israel. Não diz porque deveria ser ouvido. As primeiras palavras da oração são ¨Senhor, Deus dos céus, Deus grande e temível¨. Uma aproximação humilde de quem reconhece o tamanho de com quem está falando. Era Deus quem tinha aberto o mar vermelho, trazido maná, derrubado muralhas e vencido gigantes. Ele reconhece a santidade e soberania de Deus. Não sei se você já falou com alguém que admira, quanto mais falar com Deus. Ele merece nosso respeito, admiração e reverência.


Reconhecer a própria natureza, limitações ou pecados - Neemias 1:7-10


A atitude de Neemias é a de assumir os próprios equívocos. Ele se identifica com seus compatriotas. Mesmo longe assume a responsabilidade. Reconhece e se identifica com as próprias limitações e a natureza humana.

Nenhum homem é indesculpável perante Deus. Ninguém está a altura dele. Por isso o exercício da auto humilhação é tão necessário. Nós somos os imperfeitos. Somos a criatura rebelde falando com o Criador perfeito. Vale lembrar o que Spurgeon falou certa vez ¨Se alguém pensa mal de você, não fique bravo com ele, pois você é pior do que ele pensa que você seja."


Reconhecer que há algo a ser feito - Neemias 1:11 


Ele termina com “faze que seu servo seja bem sucedido”. No final da oração ele já tinha um plano e estava disposto a ir até o fim. Duvido que você conheça alguém que recebeu por sonho o gabarito da USP ou qualquer outra universidade. Deus é Deus do impossível, mas adivinhe para quem ele deixou o possível? Em nossa vida diária oramos muito pouco, e quando oramos agimos como se fosse um saque no caixa eletrônico.

A oração deveria ser a forma pelo qual reconhecemos quão grande Deus é, como somos pequenos, e o que nos leva a construir o que Ele quer de nós. A oração é um dos principais meios pelo qual Deus nos conduz. 
Na sua vida, a oração é seu volante ou o step?

Artigos Relacionados:
O que nem política pode abalar - Ser Membro
Feitos para servir - Ser Membro
Testemunhando o corpo - Ser Membro




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação