Jovem Crente: Quando o outro tem razão, mas não vergonha na cara

Quando o outro tem razão, mas não vergonha na cara


Poucas coisas na vida são tão difíceis quanto ouvir. Por uma série de motivos que daria um outro bom artigo, nós todos temos a ilusão comum de que sempre devemos falar e que nossa voz deve ser sempre ouvida. Mas mais difícil que ouvir, é escutar alguém dizer que estou errado. Isto é, receber uma crítica ou, pra quem gosta de falar inglês à toa, um feedback negativo.  

No contexto da Igreja, chamamos de exortação ou encorajamento (1Tessalonicenses 5:11) quando um cristão aponta uma falha no outro a partir de um principio bíblico. Veja bem, uma verdade clara e presente nas Escrituras, não opinião ou preferência. Essa conversa, por vezes desagradável, pode vir em forma de conselho, pregação ou bronca até.
A forma como reagimos a isso revela muito bem a imagem que temos de nós mesmos, do outro e de Deus. Isso porque, se formos sinceros, assumiremos que lutamos para não responder algo como ¨fulano de tal também faz e ninguém fala nada¨ ou ¨mas você faz tal coisa¨.

Rejeitar ou resistir tão prontamente uma correção demonstra que sou irrepreensível (do jeito errado). Ou seja, ninguém consegue me repreender. E isso é exatamente o oposto de um espírito humilde que Paulo encoraja nos leitores quando dá inúmeros princípios (Efésios 5). Lembre-se de Davi, ele é alguém que pede para que Deus o sonde (Salmos 139:26-27) e o corrija. Coisa que pode acontecer por meio de outras pessoas iguais ou piores. Natã também tinha seus problemas, é que a gente não o conhece tão bem.

Resistir à uma correção porque quem disse foi tal pessoa mostra também um certo nariz empinado espiritual. Algo como ¨quem é você para me corrigir¨. No final das contas agimos como o fariseu da parábola de Jesus (Lucas 18:9-14). No fundo, nos consideramos dignos de outro patamar diante de Deus e dos Homens. O Deus que usa uma mula (Números 22) para ensinar, usa qualquer pessoa/meio para corrigir. A verdade continua sendo verdade nem que venha de uma boca mentirosa ou de um caráter duvidoso.

Desconsiderar um pedaço da mensagem é refutar também o real mensageiro. Tudo o que temos sobre Deus vem de pessoas imorais e imperfeitas que foram usadas por Ele para transmitir a verdade eterna. Se ignoramos os salmos de Davi, o traidor, não aprendemos sobre arrependimento e quão grande é o perdão de Deus. Quando viramos as costas para mensageiros imperfeitos nos afastamos também da transformação que Deus quer trazer.

O problema é que na dureza do nosso coração, confundimos discussão com briga, e vemos as críticas como inveja, falta de amizade ou falta de amor. Em um mundo desesperado por transformação, precisamos parar de nos esconder atrás de platitudes, sorrisos falsos e stories do instagram. Devemos aceitar e nos engajar em relacionamentos duros, sinceros e bíblicos que nos transformem a imagem de Cristo.

Artigos Relacionados:










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação