Jovem Crente: Mas meu coração é descompassado!

Mas meu coração é descompassado!


   

Você toca algum instrumento? Aprecia algum estilo musical que te faz ir além de sua capacidade momentânea e avaliar a vida como se ela realmente tivesse uma trilha sonora? Você já viu alguma orquestra, cena de filme, ou alguma música de sua lista de favoritas, parar do nada e começar em um ritmo totalmente novo e desconexo do anterior?
Particularmente temos a tendência de designar ritmos para fases de nossas vidas. Assim como a cadência musical precisa estar pautada em algo além de si, para não ser somente um monte de músicos tocando sem rumo, o nosso coração por vezes se encontra nesse cruzamento: é aqui que eu preciso saber como o condutor (maestro) deseja que eu siga minha vida.

Mas aquela música do seu coração parece tão confusa, tão desajeitada, tão distante de uma melodia bonitinha de ser ouvida numa cena de amor, ou alegria... Você então não se sente parte do restante de cristãos que estão ao seu redor. O pensamento surge como uma pequena fagulha e quando você vê o seu ritmo está realmente bem fora da linda música que todos estão tocando. Você pensa que não é digno de tocar a canção da salvação com sua igreja, com seus familiares, com sua própria vida. Você se acha o instrumento mais oxidado, com cordas mais desajustadas e desafinadas de toda a peça... Então a dublagem da vida cristã se torna atraente e as suas atitudes agora seguem o padrão da moda e não da função que o seu instrumento precisava preencher na grande melodia.
Na Bíblia temos diversos exemplos de instrumentos descompassados. Grandes homens que caminhavam com Cristo, que viam suas maravilhas, e testemunhavam a outros a grande transformação que acontecera com a vida deles próprios, se viam diante de incapacidades. Paulo foi chamado por Cristo diante de uma situação no mínimo complicada.
Enquanto isso, Saulo ainda respirava ameaças de morte contra os discípulos do Senhor. Dirigindo-se ao sumo sacerdote, pediu-lhe cartas para as sinagogas de Damasco, de maneira que, caso encontrasse ali homens ou mulheres que pertencessem ao Caminho, pudesse levá-los presos para Jerusalém. Em sua viagem, quando se aproximava de Damasco, de repente brilhou ao seu redor uma luz vinda do céu. Ele caiu por terra e ouviu uma voz que lhe dizia: "Saulo, Saulo, por que você me persegue? " Saulo perguntou: "Quem és tu, Senhor? " Ele respondeu: "Eu sou Jesus, a quem você persegue.
Atos 9:1-5
Paulo, em seu exercício de fé, acreditava ter que lutar contra o cristianismo, pois fora desse modo que ele compreendera os ensinamentos farisaicos dados a ele até ali. Porém, o próprio Cristo não levou em consideração toda a ânsia de Saulo em fazer justiça com suas próprias mãos e mostrou-lhe como o evangelho é transformador. Paulo teve a oportunidade de propagar a mensagem cristã, mesmo que anteriormente sua vida tivesse sido considerada o avesso de suas ações.
Irmãos, pensem no que vocês eram quando foram chamados. Poucos eram sábios segundo os padrões humanos; poucos eram poderosos; poucos eram de nobre nascimento.
Mas Deus escolheu o que para o mundo é loucura para envergonhar os sábios, e escolheu o que para o mundo é fraqueza, para envergonhar o que é forte.
Ele o que para o mundo é insignificante, desprezado e o que nada é, a fim de que ninguém se vanglorie diante dele.
É, porém, por iniciativa dele que vocês estão em Cristo Jesus, o qual se tornou sabedoria de Deus para nós, isto é, justiça, santidade e redenção,
para que, como está escrito: “Quem se gloriar, glorie-se no Senhor”.

1 Coríntios 1:26-31
Aqueles momentos de nossas vidas nos quais julgamos não estar à altura das pessoas que falam do amor de Cristo, seja por uma nota desafinada de nosso tempo com Deus, ou de um sentimento de que Deus não poderia usar as coisas loucas desse mundo (nesse caso, nós), devem ser levados aos pés da cruz de Cristo. Ele é quem nos torna instrumentos de sua graça, e nos capacita conforme a vontade dele para que façamos o nosso melhor para a glória dele. Ele nos escolheu para tocar a linda melodia da salvação com ele, e acredite cada nota, pausa, e ritmo, precisam se alinhar com o instrumento de nossas vidas que é a nossa santificação.
Espero que mesmo naqueles compassos que não parecem tão dançantes assim, você possa desfrutar da obra que Deus está proporcionando em sua vida. Reconheça-o em sua alegria e nos momentos de falta dela, e saiba que ele é o melhor reparador de ritmos desalinhados. Os métodos deles não são os mesmos que os nossos, e você pode sim ser parte do povo de Cristo enquanto está aprendendo a caminhar nesse ritmo.
Que a graça de nosso Deus possa alcançar os nossos corações frágeis e nos ensinar que somos servos que são úteis a ele por causa do que ele produziu em nós.

Artigos Relacionados:  
Deus escolhe os piores, por isso Ele nos escolheu!

Até que ponto devemos confiar em Deus?
Música na igreja















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação