Jovem Crente: Liberdade: "Fazer o que meu coração manda"

Liberdade: "Fazer o que meu coração manda"




Nesse mês, iniciamos uma nova série aqui no blog chamada “Precisamos falar sobre pecado”. Nos próximos artigos, iremos pensar um pouco sobre um conceito que nunca esteve na moda, mas que cada vez mais se torna um pecado dizer que existe (desculpe o trocadilho). Por termos tantas opiniões sobre PECADO precisamos pensar o que Deus pensa sobre isso. Por isso, PRECISAMOS FALAR SOBRE PECADO. Aproveite!





O que é liberdade para você? Essa pergunta foi feita para diferentes pessoas, em alguns lugares do mundo, em uma pesquisa promovida pela National Geographic que achei pertinente para este breve artigo. [1] Selecionei algumas das respostas:
Liberdade é:

“libertar-se das expectativas das outras pessoas”;
“ser eu mesmo, quem eu quiser ser”;
“ser livre de qualquer opressão”;
“ser livre de qualquer medo”;
“fazer o que meu coração manda”
“pensar e mover-se sem qualquer limitação”
“não precisar viver debaixo de qualquer lei”
“não trabalhar e ir a praia”
“fazer qualquer coisa sem prejudicar os outros”.

Estas afirmações demonstram que cada pessoa tem um desejo diferente por essa tal liberdade, por mais difícil que seja descrever o que exatamente se deseja ao busca-la. Também revela que o conceito de liberdade, na ótica humana, é bastante plural, embora tenha uma linha que permeia tudo: o desejo de não estar preso a nada nem a ninguém, isto é, viver nossos direitos sem qualquer obrigação. Por termos tantas vozes “gritando" sobre liberdade, precisamos então escolher qual voz queremos ouvir. Aqui, quero lhe sugerir considerar a voz de Deus nessa questão.

Vejamos juntos Gálatas 5.13
“Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; pelo contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor.

Balizados na primeira parte do verso, muitos cristãos afirmam sua liberdade em Cristo. Liberdade essa que é questionada por muitos, principalmente por termos entendimentos diferentes sobre liberdade. Mas o que então a Palavra de Deus quer nos dizer? O que significa dizer que sou livre?

Bom, esse texto claramente foi escrito para pessoas que já entregaram suas vidas a Cristo, pessoas que tiveram um encontro pessoal e profundo com Jesus, e, nas definições bíblicas, apenas esses têm a verdadeira liberdade. Mas também foi escrito para pessoas que estavam em dúvida do estilo de vida que deviriam levar: Deve-se seguir alguns padrões morais impostos pela antiga religião ou uma vida sem muitos limites (ou até nenhum)? Que tipo de liberdade eles teriam? O que é essa liberdade para qual eles foram chamados?

A liberdade descrita em Gálatas, nesse trecho principalmente, quer dizer que estamos livres dos padrões estabelecidos pela religiosidade (principalmente a lei do Antigo Testamento) para a salvação. Ou seja, você não tem condições de, por seus esforços, alcançar um lugarzinho no céu, nem mesmo para ser abençoado por Deus. Mas mesmo assim, você está livre da sua condição de escravo do pecado, para agora ser escravo de Cristo Jesus (cf. Rm 6). É esse tipo de liberdade que temos na Bíblia, somos livres para viver para Deus.

Mas não é porque eu não preciso fazer algo para ser salvo que eu estou liberado para fazer qualquer coisa. Não é assim que vivem as pessoas que decidiram caminhar com Deus, é isso que Paulo quer explicar aos Gálatas e também a nós. Não é essa definição que a voz de Deus parece indicar sobre liberdade.

Liberdade então, segundo Paulo, tem pouco a ver com aquele sentimento que tínhamos na sala de aula quando a professora saia ou faltava, em que o desejo da sala toda era fazer qualquer coisa, como se não houvesse amanhã. Lembro até que numa dessas oportunidades, com alguns amigos, jogamos futebol no fundo da sala de aula. O que Paulo está dizendo aqui parece mais com a liberdade que um peixe tem: é livre para nadar, para ir por onde quiser, mas não é livre para sair da água, pois sua liberdade é reduzida pelos limites da sua própria existência. Não somos peixes, mas como filhos de Deus temos os limites estabelecidos por nosso Criador, limites para não ferirmos os planos de Deus para nós.

A preocupação de Paulo é como vamos usar a nossa liberdade, não caindo em libertinagem. Libertinagem é o desejo desenfreado de viver sem nenhum tipo de abstinência ou freio. O cuidado então é para que nossa liberdade não permita que tomemos a forma da nossa carne, porque essa sim deseja o que é contrário ao Senhor (cf. Rm 7 e Jr 17.9). Segundo a continuidade de Gálatas 5, viver de maneira carnal é tomarmos a forma daquilo que se opõe aos desejos de Deus para nós: relacionamentos egocêntricos, vida desregrada, vida sexual com qualquer parceiro que não seu cônjuge, pornografia, sentimento de ira, olhar altivo, ter algo que não o Senhor como prioridade na sua vida, entre tantos outros. Ou seja, nossa liberdade é limitada pela vontade de Deus para nós.

O único jeito então de viver o princípio da liberdade é viver alicerçado no principio que permeia toda a Bíblia: o AMOR. O amor ao Senhor, a sua Palavra e ao próximo. Deve ser visível nosso desejo de nos comprometermos com aquilo que Deus se compromete e assim não vivemos mais para nós mesmos, passamos a servir os outros, a cuidar das coisas de Deus e a buscar a direção Dele.

Portanto, nossa liberdade, tem um critério, tem um limite: agradar a Deus. Por isso, para nossas decisões, precisamos ponderar se algo nos acrescenta em amor ou espiritualidade. Ponha na balança:

MAIS AMOR + MAIS ESPIRITUALIDADE = FAÇA
MENOR AMOR + MENOS ESPIRITUALIDADE = NÃO FAÇA
IGUAL AMOR + IGUAL ESPIRITUALIDADE = PARA QUÊ FAZER?

Por fim, quero dizer que, em Cristo Jesus, transformados por Ele, temos o privilégio de viver diferente, com valores diferentes. Temos a responsabilidade de trocar o que é passageiro (que dura no máximo essa nossa vida) por aquilo que é eterno (aquilo que não passa). Se você já foi resgatado por Jesus, você sabe que valor isso tem. Saiba que você pode sim, e deve, ter critérios para fazer boas escolhas em sua vida. Você então só deve fazer o que seu coração manda, se o seu coração for controlado pelo Senhor, se o desejo do seu coração é fazer TUDO que o nosso Pai nos direciona a fazer. Lembre-se: você é filho de Deus, e isso nos dá um grande poder, principalmente para sermos boas testemunhas dEle (cf. At 1.8), mas também lembre-se que  com “GRANDES PODERES, GRANDES RESPONSABILIDADES” (Tio Ben, Spider Man).

Artigos Relacionados: 


_______________________________________________________________________________
[1] -  https://www.natgeo.pt/video/tv/o-que-e-liberdade



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação