Jovem Crente: Relacionamentos Descartáveis

Relacionamentos Descartáveis

Caro leitor, muito provavelmente você já presenciou um término de relacionamento de alguém próximo ou até mesmo o seu próprio término, e viu algo parecido com essa frase sendo dita por um dos dois lados: “Ele (a) não me escutava e não me dava a devida atenção ”. Talvez você esteja perguntando-se onde quero chegar, mas eu peço um pouco de paciência, pois eu já explicarei. Ela não tem nada de errado em si e, em muitos contextos, ela realmente pode ser usada para demonstrar uma omissão por uma das partes. No entanto, essa frase é usada muitas vezes com a ideia de apontar que as vontades e desejos não estavam sendo mais atendidos. Qual o problema aqui? A menos que você tenha suas vontades e desejos conformados ao ideal de Deus, ninguém deve supri-los. Eles são pecaminosos e procurarão suprir lacunas com desejos desenfreados por paixões mundanas te levando a um pecado desenfreado e crescente. 
Nós vivemos na época dos descartáveis. Compramos celulares, notebooks, roupas e logo os descartamos, pois aquela “necessidade” que existia em nosso coração toma uma proporção maior, e já não ficamos contentes com o suprimento que aquele momento nos fornece. Estamos sempre querendo mais ou algo melhor do que aquilo que já temos. E isso não se refere apenas às coisas materiais, mas tem um reflexo visível e crescente nos nossos relacionamentos. Somos dominados pela sensação de que nossos relacionamentos devem suprir ou complementar quem somos, não por um ponto de vista altruísta e cristão, mas por um coração vaidoso e centrado em si. Isso não é diferente no namoro. Muitas vezes ele já começa com essa vaidade gritante, pois buscamos alguém que supra nossas “necessidades”. Nós não buscamos uma supressão das nossas vontades em Deus, e acabamos buscando um parceiro que consiga tal coisa. Outros namoros até começam com boas intenções, mas acabam caindo no erro da satisfação própria. A pergunta que fica é: “como resolver esse problema?”. 

Deus fez a mulher para o homem como uma auxiliadora (Gn 2.18) e o homem para a mulher como uma segurança e um supridor (Ef 5.23,25-27), ambos com papéis distintos, mas complementares e especificados por Deus. Em ambos, um visa o outro. É um amor altruísta que visa viver e possibilitar condições para crescimento e fortalecimento mútuo em Deus. C.S. Lewis, autor das “Crônicas de Nárnia”, diz uma frase que deve nortear a nossa mente enquanto ainda buscamos alguém: “O coração de uma mulher deve ser tão próximo de Deus que um homem precisa persegui-Lo para encontrá-la”. Ele se refere à uma mulher, mas serve para ambos. Nós temos que estar com o coração em uma busca constante por Deus, para que nessa busca encontremos alguém na mesma caminhada, para que assim o relacionamento não seja descartável, temporal e sujo, mas eterno, crescente e santo. 

“Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito. ” 
Colossenses 3.14 

Colossenses não está falando de namoro, até porque na época não existia isso. Mas nós podemos pegar um princípio que deve nortear o namoro. O amor ÁGAPE deve nortear o nosso relacionamento. O termo ágape é o mesmo amor usado para descrever o amor que Deus tem por nós. Amor ágape quer dizer um amor sacrificial, que é orientado por uma decisão de amar que implica em ações claras de amor. Ou seja, independente se seu namorado(a) fez algo para você ou não. Ou mesmo se ele “supriu sua vontade”. Seu coração continua amando, pois não está condicionado a receber para dar, mas dá indiferentemente se irá receber algo em troca. Os namoros devem ser supridos por um amor reciclável e transformado que se vale de recursos eternos, para que não sejam temporalmente descartáveis. 

Deus espera que você tenha essa consciência de amar, independente se seu companheiro supre suas necessidades, mas buscando íntima e profundamente suprir as demandas de Deus para a vida dele (a). Namoro é doar-se para que Deus seja glorificado e demonstre sua graça através da supressão da nossa vontade humana e corrupta. Que possamos reciclar nosso amor e descartar apenas as ideias mundanas de necessidade e amor próprio. Ore a Deus e peça isso. E se você está vivendo um namoro reciclável, coloque isso diante Dele para que seu namoro seja reorientado e transformado por Ele, para que você pare de viver conforme sua vontade e busque que a vontade Dele seja visivelmente vivida e propagada pelo seu relacionamento.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação