Jovem Crente: Lidando com Traumas

Lidando com Traumas


Como lidar com traumas passados em relacionamentos futuros?

Ninguém começa um namoro na esperança de um dia terminar. A intenção de um casal de cristãos ao iniciarem um relacionamento é (ou pelo menos deveria ser) caminharem rumo ao casamento. Contudo, nem todos os namoros tem esse desfecho. Por mais que se trate de crentes comprometidos e que buscam a Deus, devido aos mais variados motivos, casais de namorados podem chegar à conclusão de que é melhor colocar um fim na relação.

Por vezes, términos podem ser bastante dolorosos e traumáticos e muitos de nós já passamos ou passaremos por esse momento difícil. Por esse motivo, é importante aprender a lidar com os traumas de relacionamentos passados e não deixar que eles influenciem e interfiram em futuros relacionamentos.

Relacionamentos passados

Existe uma série de razões pelas quais um namoro pode ter acabado. As pessoas geralmente entram num relacionamento procurando por amor, carinho, segurança, companheirismo, compromisso, intimidade e ajuda, contudo, conforme um casal se aproxima e se conhece de maneira cada vez mais profunda, os pecados começam a se tornar cada vez mais evidentes. Imagine dois pecadores num processo de aprender a lidar com os seus pecados e com os pecados do outro? Não é uma tarefa fácil!

Existem coisas sobre nós - fraquezas ou padrões de comportamento - que podem nos desqualificar para o casamento com uma pessoa em particular. Ao constatar isso, há grandes chances de que alguém, ou até mesmo ambas as partes, saiam machucadas e amarguradas por terem tido suas expectativas frustradas em relação ao namoro, mas isso não anula a graça de Deus para e através de você.

Independentemente das falhas que houve em seu relacionamento, com toda a certeza, Deus não falhou em nenhum momento. Deus nunca abandonou você, e ele nunca o abandonará. Os propósitos de Deus são maiores que os erros cometidos por você e contra você.

Deus ama o casamento e sua frustação não muda esse fato

Podemos encontrar na Bíblia diversos versículos que mostram que Deus parece querer que a maioria de nós se case:

“Então o Senhor Deus declarou: ‘Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda’” Gênesis 2.18.

“Quem encontra uma esposa encontra algo excelente; recebeu uma bênção do Senhor” Provérbios 18.22.

“mas, por causa da imoralidade, cada um deve ter sua esposa, e cada mulher o seu próprio marido” 1 Coríntios 7.2.

O casamento foi criado por Deus, e a relação do marido para com sua esposa é a expressão mais próxima da relação entre Cristo e a Igreja:

“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela” Efésios 5.25.

O namoro é o caminho pela qual se chega ao casamento. Não importa quão negativas foram suas experiências nessa área, apegue-se ao que a Palavra de Deus diz, e não permita que o que você viveu de ruim deturpe sua visão sobre o relacionamento conjugal.

A cura do problema: perdão

Estudei durante um ano no Seminário Bíblico Palavra da Vida e durante uma das aulas de ética cristã foi dada a seguinte definição para perdão:

“Perdão é o reconhecimento de que existiu uma ofensa cometida primeiramente contra Deus e uma decisão de lidar com ela em obediência a uma ordem, com base naquilo que Deus já concedeu e me concede continuamente em Cristo, independentemente do merecimento por parte do ofensor, comprometendo-me a não me vingar e a não guardar e levantar registro de ofensas.”

Levar traumas de relacionamentos passados para relacionamentos futuros revela um coração amargo e não perdoador. Quando realmente percebemos o tamanho da dívida que temos para com Deus, todas as ofensas que pessoas comentem contra nós, embora reais e difíceis, diminuem em comparação.

“Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas” Mateus 6.14-15.

Por meio da morte de Jesus na cruz fomos reconciliados com o Pai. Tivemos todos os nossos pecados perdoados, aqueles que já cometemos e os que ainda cometeremos.

“Se pela transgressão de um só a morte reinou por meio dele, muito mais aqueles que recebem de Deus a imensa provisão da graça e a dádiva da justiça reinarão em vida por meio de um único homem, Jesus Cristo. Consequentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens” Romanos 5.17-18.

Essa verdade deve produzir em nós um coração que confia em Deus e desfruta da paz que excede todo entendimento. Mesmo em situações difíceis, como lidar com um término e traumas de um namoro, Deus continua te ajudando a experimentar paz, perdão e alegria.

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus” Filipenses 4.7.

Em Romanos 8.28, Paulo afirma que “Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam”. Em seu livro “Más lembranças”, Robert Jones pontua algo bastante importante:

“Lembre-se, Deus não quer remover suas lembranças, ele quer redimi-las em algo bom que o fará mais semelhante a Jesus. Você percebe a esperança que essa abordagem oferece aos cristãos? Suas más lembranças de pecados passados – mesmo os piores deles – podem ser oportunidades para crescimento e transformação de vida”.

O trauma de Jesus na cruz é a certeza de que seus traumas têm um propósito maior de aprendizagem para a vida. Deus pode redimir o modo como você encara seu passado dando a você as perspectivas dele a respeito disso.

Relacionamentos futuros: aprendendo com os erros

Como vimos, perdoar e deixar para trás as ofensas, frustações e situações ruins vividas em relacionamentos passados não significa que você não pode aprender com seus erros. As suas experiências podem te incentivar a não cometer erros que outros cometeram, a imitar bons exemplos e estar mais atento a áreas em que você não prestou tanta atenção antes.

Algo importante a ressaltar é que ter passado por um término revela uma verdade que não devemos esquecer: pode ser que seu atual ou futuro namorado(a) não venha a se tornar seu cônjuge. Não cometa o erro de agir no namoro como se você tivesse essas certezas que na verdade não tem. Eu repito a primeira frase desse artigo: Ninguém começa um namoro na esperança de um dia terminar. Mas, grande parte dos traumas causados por relacionamentos malsucedidos são consequência da falta de pureza no namoro. Os padrões de santidade que a Bíblia apresenta não são limitações sem sentido ou propósito, mas fruto do cuidado de Deus para conosco.

“A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus. Neste assunto, ninguém prejudique seu irmão nem dele se aproveite” 1 Tessalonicenses 4.3-6a.

Um namoro santo e que agrada a Deus não garante que o relacionamento culminará em casamento, mas garante que em um eventual rompimento, ambas as partes estarão com consciências limpas diante de Deus e, consequentemente, sem ressentimentos e amargura.


Artigos Relacionados:













Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação