Jovem Crente: Eu, um cristão profissional!

Eu, um cristão profissional!



Vivemos em mundo que está em constante mudança, a cada segundo algo novo é criado, as opções aumentam em todas as áreas, em vista disto nos sentimos confusos em meio a tanta informação. Se formos pensar nas profissões que hoje existem comparadas com as de 100 anos atrás, facilmente percebemos que houve um aumento gigantesco delas, é aí que surge a dúvida para muitos: O que farei? Qual será minha profissão? Então, faço outra pergunta: Será que isto é tão importante assim?




Olhamos ao redor e vemos que muitos andam insatisfeitos com o trabalho e o veem como um peso, mesmo quando fazem o que “tanto gostam e amam”. Isso porque na verdade trata-se muito mais de uma questão de se entender o propósito de vida e identidade em Deus do que descobrir a profissão exata para qual você nasceu, aquela que vai te fazer feliz e completo, sem problemas ou preocupações, como em um mundo irreal, ou universo paralelo. Não podemos ser pessimistas pensando que nunca estaremos satisfeitos no trabalho, e muito menos viver iludidos pensando que o trabalho nos preencherá, pois “descobrimos o que nascemos para ser”. Por isto nós, como cristãos, temos que ver o trabalho de uma maneira diferente, nós encontramos satisfação nele sim, mas porquê antes estamos completos e satisfeitos em Deus. 

Simplesmente precisamos ver o trabalho da maneira de Deus e termos a motivação correta ao entender seu propósito. Ele não é um fim em si mesmo, e muito menos dignifica o homem, como alguns dizem, pois o que faz do homem digno é ser a imagem e semelhança de Deus, o que se torna completo com o evangelho que o restaura e dignifica. 

Infelizmente muito da consciência do que é o trabalho se perdeu e só foi retomada com a Reforma Protestante, que voltou a relacionar a fé ao cotidiano. Deus criou o trabalho como uma atividade realizadora, um serviço bendito que era agradável e natural, nele o homem adorava a Deus por meio do que produzia. Tanto que Deus criou o homem para usar do seu fôlego no trabalho no jardim, da mesma forma nós devemos usar desse fôlego no local de trabalho. O pecado fez com que isto se perdesse, mas em Cristo nossa identidade é restaurada e podemos adorar novamente a Deus vinte quatros horas por dia em tudo o que fazemos, inclusive no trabalho. 

“Então o Senhor Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente. Ora, o Senhor Deus tinha plantado um jardim no Éden, para os lados do leste; e ali colocou o homem que formara.” Gênesis 2.7,8 

Temos que lembrar que Deus em primeiro lugar nos criou para o culto, para adoração a ele. Em segundo lugar para a casa, isto é o relacionamento em família, pois todo ser humano naturalmente precisa do relacionamento familiar. E em terceiro lugar para o cultivo, para que nós trabalhássemos e com o suor do nosso rosto colhêssemos os frutos daquilo em que investimos nossos esforços. Mas, por causa do pecado, além de não adorarmos mais a Deus através do trabalho, também invertemos a ordem e o tornamos um ídolo em nossos corações, pois na sociedade atual ele se tornou o meio de ganhar dinheiro, status e poder. 

Fomos criados para o culto, devemos entender que a vocação profissional decorre de um chamado maior, pois Deus nos vocacionou à salvação, para que assim pudéssemos exercer com relevância a nossa profissão. 

“Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam”. Efésios 4.1 

Se entendermos nossa vocação, que fomos e somos salvos em Cristo, viveremos de maneira digna. O começo, meio e fim do trabalho será a glória de Deus, do contrário ele se tornará vazio e sem sentido. Quando olhamos para o Novo Testamento notamos que a maioria das pessoas era: pastores de ovelhas, pescadores, publicanos, soldados, políticos, fazedores de tenda, médicos e carpinteiros. E eles foram extremamente impactantes exercendo uma profissão. Temos que fazer como aqueles cristãos e tornar nosso local de trabalho um ambiente que manifesta a Cristo, trazendo a memória o que Paulo nos diz: que não trabalhamos para homens, mas para o Senhor (Colossenses 3.22-25). 

Por fim, entendemos que somos cristãos profissionais. Se formos excelentes em Cristo, seremos em tudo, pois primeiro somos cristãos e depois profissionais. Então, não torne uma parte da vida, no caso o trabalho, o todo da vida. E que o todo da sua vida seja para a glória de Deus. 

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” 1 Coríntios 10.31. 

Algumas dicas para que glorifiquemos a Deus através do nosso trabalho de maneira prática: 
1) Sejamos honesto no que fazemos (Pv 11.1); 
2) Pratiquemos boas obras, , inclusive no local de trabalho, pois fomos salvos para elas (Ef 2.10); 
3) Aproveitemos as oportunidades dadas por Deus (Cl 4.3-6); 
4) Descansemos, porque até isso Deus nos ensinou (Gn 2.2); 
5)Trabalhemos como para o Senhor, pois tudo é para Ele (Cl 3.22-25); 
6) Usemos do nosso trabalho como nosso ministério (At 18.2,3).


Artigos relacionados: 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação