Jovem Crente: Por que tomar cuidado com a língua

Por que tomar cuidado com a língua



Você com certeza já esteve dentro de um carro alguma vez na vida, certo? Já parou para pensar como é impressionante que algo que pesa mais de uma tonelada, e transporta várias pessoas, é controlado por um volante que mede apenas cerca de quarenta centímetros de diâmetro? E se tomarmos como exemplo os navios? “Embora sejam tão grandes e impelidos por fortes ventos, são dirigidos por um leme muito pequeno, conforme a vontade do piloto” (Tiago 3.4). 


Da mesma forma que o carro e o navio são controlados por elementos bem menores do que eles, a Bíblia nos alerta que a língua, tão pequena se comparada ao tamanho do nosso corpo, pode ter efeitos maléficos. Tiago iguala o impacto causado por esse pequeno membro, que contamina o corpo todo, a uma simples fagulha, que é capaz de incendiar uma floresta inteira. 

“Semelhantemente, a língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas. Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha. Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniquidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno.” 
Tiago 3.5-6 

As ilustrações que Tiago usa, deixam bem claro que a língua tem um grande poder sobre nós. Por esse motivo, é muito importante que aprendamos a controla-la, e essa não é uma tarefa nada fácil! É tão difícil que Tiago afirma que se alguém conseguir controlar sua língua, controlará todo o seu corpo. 

“Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo.” 
Tiago 3.2 

Agora que estudamos um pouco a razão bíblica do por que devemos controlar nossa língua, é necessário entendermos como fazer isso. Como avaliar se estou pecando em meu falar? 

“Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem.” 
Efésios 4.29 

Em seu livro “Pecados Intocáveis”, Jerry Bridges enfatiza como a proibição de Paulo nesse versículo é absoluta. Bridges afirma: 

“Ao examinarmos Efésios 4.29, observamos que não devemos permitir que nenhuma conversa corrupta saia de nossa boca (...) nada de palavra destruidora. Nenhuma sequer. Isso significa nada de fofoca, nada de sarcasmo, nada de críticas, nada de palavras grosseiras”. 

Efésios 4.29 deve nortear nossas conversas, mas vale lembrar que não devemos apenas estar atentos e sermos cuidadosos com aquilo que falamos, mas também com os nossos pensamentos. Não basta apenas controlar-se ou “se segurar” para não pecar no falar, é preciso entender que o que falamos é um reflexo do que está em nosso coração e, por esse motivo, devemos alimentá-lo com coisas que agradam a Deus. 

“Raça de víboras, como podem vocês, que são maus, dizer coisas boas? Pois a boca fala do que está cheio o coração.” Mateus 12.34 

“Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador!” Salmos 19.14 

É importante ressaltar que essa não é uma atitude que somos capazes de executar por nossas próprias forças. Somente com o auxílio do Espírito Santo podemos submeter a nossa língua ao nosso domínio e manter um coração agradável a Deus. 

“A cura para nossos pecados, sejam vergonhosos, sejam aceitáveis, é o evangelho em sua maior abrangência. (...) Cristo, em sua obra por nós e em nós, livra-nos não somente do castigo do pecado como também de seu domínio ou poder reinante em nossas vidas” (Jerry Bridges). 



Artigos relacionados: 

- Cuidado boquinha o que fala
- Era só uma brincadeira
- Palavras que ferem... jeito de ser ou pecado?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação