Jovem Crente: Filhos de um Deus Mandão

Filhos de um Deus Mandão

Palavras têm poder, algumas, inclusive, param até o tempo.  Em especial: prova, feriado e ordem.  A primeira porque causa desespero, a segunda alívio e a última, no mínimo, uma careta. O simples mencionar de uma obrigação tem, por vezes, causado desconforto para quem fala e resistência no coração de quem ouve. E isso tem muito a ver com quem somos hoje, além de distorcer a forma como lidamos com Deus.

Muito da má vontade comum com os valores (ordens e versículos) de Deus vem de confundir pais, professores e pastores autoritários com quem Deus é. O problema é que muitos de nós consideramos, mesmo que lá no fundo, a Bíblia como a linha limite da liberdade. Algo como o estraga prazer, a espalha rodinha ou alguém que diz não pelo simples prazer de mandar acabar com a festa.

Por acaso o mundo, o nosso país ou a sua casa não seriam lugares melhores de viver se obedecêssemos nem que fosse aos dez mandamentos? Obedecer é o de menos.  Tem mais gente capaz de enumerar as Kardashians do que cristãos que saibam quais são os dez, que dirá colocar em prática em um terça-feira qualquer.

A verdade é que a Bíblia também é um guia de como viver bem. Quando deixamos de pensar que as Escrituras são o livro que diz até onde posso ir e percebo que, na verdade, é um manual que traz o ponto de partida para uma vida que vale a pena,  feita de relacionamentos saudáveis, integridade e contentamento, tudo muda. Inclusive a disposição de conhecer e entender cada livro, verso e letra.

Deus todo poderoso, santo, justo, único, amoroso e digno todos os predicados deixou um livro para as suas criaturas limitadas, imperfeitas e rebeldes. As Escrituras são o resumo intencional da inteligência e sabedoria que o Deus perfeito decidiu revelar. Lembre-se, Ele sabe o que é bom para nós e não deseja nada menos que fortalecer (encorajar, guiar, abençoar) todos aqueles que lhe dedicam totalmente o coração (IICr 16:9).

É por isso que Oseias diz que o povo sofre porque não conhece as Escrituras. É por isso que Moisés e o mais sábio dos homens, Salomão,  afirmam que não são palavras inúteis, mas a própria vida (Dt 32:47; Pv 4:13). O erro dos tempos é pensar em Deus e na Bíblia como um frio código de regras e não como os conselhos de um pai amoroso que deseja salvar, conduzir e se relacionar.

Deus não é um déspota que tem caprichos ou uma lista de tarefas a serem cumpridas, mas alguém que dá diretrizes para um vida equilibrada (IITm 1:7). Ser cristão não significa dançar menos ou mais, ver essa ou aquela série e sim ter uma visão correta de si, das Escrituras e do próprio Senhor.

Eu até entendo quem diz que ¨Deus nos quer Santos¨ e não felizes, faz sentido e eu mesmo já disse isso. No entanto, quanto mais conheço a Deus e a Palavra me deparo com uma simples realidade: o mais feliz resultado da resiliência em obedecer e conhecer é ter a alegria de uma vida que vale a pena. Loucura é rejeitar tais conselhos e procurar outros caminhos.


Artigos Relacionados:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação