Jovem Crente: Meu passado me condena

Meu passado me condena


Todos nós temos um passado. Isso é um fato e não há como negá-lo. Todavia, nem todos nós sabemos lidar com o nosso passado. Para alguns, o passado é visto de uma maneira negativa, como um grande fardo, um inimigo na nossa caminhada com Deus, e a solução ideal seria poder ter a memória completamente apagada. A Bíblia, contudo, nos apresenta uma perspectiva diferente do passado e é sobre isso que trataremos nesse artigo.

O pastor canadense James MacDonald afirmou uma vez que Deus “quer que enfrentemos o nosso passado e lidemos com ele, concentrando-nos no perdão, e depois o deixemos para trás”. Não precisamos tentar nos livrar ou fugir do nosso passado, o propósito de Deus não é deletar as lembranças ou negá-las, mas redimi-las. Para que possamos lidar biblicamente com nosso passado, precisamos esclarecer algumas coisas:

1)      O passado não determina o estilo de vida atual do cristão

Deus pode e quer transformar e usar a vida de pessoas, independentemente do que elas fizeram ou do que os outros fizeram contra elas. Em Cristo nós fomos feitos novas criaturas e nossos pecados foram perdoados por meio de seu sacrifício na cruz.

Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus” 

1 Coríntios 6.9-11.


2)      O passado pode ser um grande auxílio para o crescimento e a maturidade cristã

Robert Jones, professor americano em aconselhamento bíblico, afirmou que “suas más lembranças de pecados passados – mesmo os piores deles – podem ser oportunidades para crescimento e transformação de vida”.

Nossa história de vida deve nos incentivar a enfrentar quaisquer situações com confiança em Deus, como aconteceu com Davi em 1 Samuel 17.37:

“O SENHOR que me livrou das garras do leão e das garras do urso me livrará das mãos desse filisteu”.

Além disso, termos experimentado do perdão de Deus para com os nossos pecados deve nos incentivar a perdoar uns aos outros:

“Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo”

Efésios 4.32.


3)      Podemos aprender com a história dos nossos antepassados

Conhecer o caráter e atuação de Deus na vida de outras pessoas no passado nos permite receber encorajamento e esperança, nos incentivando a imitar os bons exemplos e não repetir os erros que outros cometeram.

“Essas coisas aconteceram a eles como exemplos e foram escritas como advertência para nós, sobre quem tem chegado o fim dos tempos. Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!”

1 Coríntios 10.11-12.


4)      E quando sofro com os erros do passado dos meus pais?

A Bíblia é clara a respeito do fato de que cada um é individualmente responsável pelo seu pecado. Sem dúvidas o pecado dos pais afeta e traz implicações à vida dos filhos, mas isso não muda a responsabilidade individual de cada um para com o seu pecado e também para com a sua resposta ao pecado dos outros.

“Aquele que pecar é que morrerá. O filho não levará a culpa do pai e nem o pai levará a culpa do filho. A justiça do justo lhe será creditada, e a impiedade do ímpio lhe será cobrada” 
Ezequiel 18.20.


5) O lugar do passado é no passado

A Bíblia nos ensina a nos apropriarmos dos ensinamentos do passado e seguirmos em frente. A palavra grega para “esquecer” não significa não lembrar”, mas sim “não focalizar a atenção. A questão é nunca olhar para trás e lembrar-se do passado de  forma que dificulte a caminhada cristã.


“Agradeça com humildade pelos sucessos, confesse com humildade os fracassos e, em seguida, volte-se para o futuro e siga na caminhada cristã.”
 John Piper.












Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação