Jovem Crente: Lamentações de um jovem crente

Lamentações de um jovem crente


Às vezes, temos a impressão de que nada ao nosso redor parece fazer sentido. Tragédias que estão cada dia mais perto de nós, a morte de pessoas queridas, nossos amigos que não nos entendem, brigas na nossa família. Tem dias que parece que tudo, tudo mesmo, está dando errado. Você já teve dias assim? Já passou por situações em que imaginou que não conseguiria suportar?

Infelizmente, nossa vida não é feita apenas de momentos felizes e alegres. Por vezes, a dor e o sofrimento são lembretes constantes de que o paraíso está longe de ser aqui. Parece que o "tempo de chorar e prantear" nunca irá dar lugar ao "tempo de rir e dançar" (Ec 3). Chegamos a imaginar que nosso lamento nunca terá fim. E então, eu te pergunto, jovem, qual tem sido a sua lamentação?


São seus pais que brigam constantemente? O bullying que tem sofrido na escola? É a falta de um namorado? Ou até mesmo a não aprovação em um vestibular? É uma briga não resolvida? Uma enfermidade que insiste em não curar?

Tantas situações difíceis que mesmo nós, crentes no Senhor Jesus, estamos sujeitos a passar. Nesses momentos é difícil enxergar um Deus amoroso, que cuida e intercede por nós. Um Deus que não se alegra com o nosso sofrimento, mas que, ao passarmos por ele, o utiliza para nos forjar e nos transformar à sua imagem. É difícil de acreditar que é possível "considerar motivo de grande alegria o fato de passarmos por diversas provações", que deveríamos saber que a prova da nossa fé produz perseverança e que "a perseverança deve ter ação completa, a fim de que sejamos maduros e íntegros, sem nos faltar coisa alguma" (Tg 1.2-4). Mas Jeremias, o profeta chorão, nos mostra que mesmo nessas situações é possível presenciar um Deus misericordioso que se importa com a nossa dor.

Jeremias viveu momentos difíceis. Ele escreveu o livro de Lamentações* após sua cidade ter sido destruída e sitiada. Com poucos sobreviventes, canibalismo e desordem era o que se encontrava na cidade em que habitava o povo de Deus. Muito provavelmente, o profeta perdeu seus familiares e todos os seus pertences. Além da dor da perda, ele ainda teve que lidar com a dor da solidão. Ainda assim, o autor escreve: "[Deus] tirou-me a paz; esqueci-me o que é prosperidade [...] minha alma desfalece dentro de mim. Todavia lembro-me também do que pode me dar esperança: Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se a cada manhã; grande é a sua fidelidade!" (Lm 3.17 e 20-23).

Jeremias nos ensina que não estamos isentos de momentos de tristeza e frustração. Mas ele nos lembra, mais uma vez, de que quando nossa alegria está em Cristo (Fp 4.4), "o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã" (Sl 30.5). Situações difíceis podem ser usadas para nos aperfeiçoar, como nos ensina a história de José, ou para nos disciplinar, como no caso dos israelitas nos tempos de Jeremias. Às vezes, não entendemos os propósitos de Deus. Independente disso, devemos sempre ter em mente que não é do agrado do Senhor trazer aflição e tristeza aos filhos dos homens (Lm 3.33) e que ele também sente a nossa dor. Ele, mais do que ninguém, entende o que é sofrer, pois ele sofreu injustamente por um povo que insistiu em amar, mesmo sendo torturado por eles.

Esse texto nos faz lembrar que só o fato de estarmos vivos demonstra a misericórdia do Senhor. Quando nosso destino real era o inferno e ele nos resgatou da morte eterna, o principal foi realizado. Ele já demonstrou seu imenso amor ao nos conduzir àquele que pode nos dar vida eterna. Isso já é motivo suficiente para nos alegrarmos em meio ao sofrimento, pois não importa o que aconteça, sabemos que ele já nos resgatou e que viveremos para sempre ao seu lado. Além disso, a lembrança daquilo que ele já fez por nós é mais um motivo para cultivarmos a esperança do porvir. Assim, nos momentos de dificuldade, por que não tentar se lembrar de todas as coisas boas que o Senhor já fez nas nossas vidas? 

"Embora ele traga tristeza, mostrará compaixão, tão grande é o seu amor infalível."
Lamentações 3.32












 *Tradições judaicas e cristãs atribuem a Jeremias a autoria do livro de Lamentações, de acordo com a Bíblia NVI de estudo.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação