Jovem Crente: [Série] Fica ligado! #4 - Duas naturezas de Cristo que mudam sua vida

[Série] Fica ligado! #4 - Duas naturezas de Cristo que mudam sua vida


Esta é uma série com pequenos artigos que vão tocar nos assuntos mais essenciais da nossa fé. Aquilo que se não soubermos, dará um rolo enorme. Em cada um deles existe muito mais para se falar, mas eu desafio você a ler cada artigo e verificar se você já está alinhado com estas ideias.

Se ainda não viu, não esqueça de visitar os outros artigos da série:




Há duas semanas vimos que precisamos confiar em Cristo para sermos salvos. Hoje, quero mostrar duas naturezas de Jesus que tem ligação direta com o que aprendemos. A natureza humana e a natureza divina.

Quero mostrar duas naturezas de Cristo que mudam sua vida.

Natureza #1 – Jesus é homem

“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam — isto proclamamos a respeito da Palavra da vida. A vida se manifestou; nós a vimos e dela testemunhamos, e proclamamos a vocês a vida eterna, que estava com o Pai e nos foi manifestada. Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo.” 1 Jo 1.1-3

Quando João fala sobre Jesus ele diz que apalpou Jesus, ele viu, ele ouviu, ou seja, Jesus era real, não era uma entidade espiritual sem corpo. Sabia que tem gente que não acredita que Jesus tinha corpo? Que não acredita que Jesus foi humano de verdade?

O assunto é tão sério que João disse que aqueles que não confessam que Jesus realmente veio em carne, nasceu, cresceu e foi homem, estes são do “capiroto”.

“Vocês podem reconhecer o Espírito de Deus deste modo: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne procede de Deus; mas todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus. Esse é o espírito do anticristo, acerca do qual vocês ouviram que está vindo, e agora já está no mundo.” 1 Jo 4.2-3

Mas aí você me pergunta, por que o demônio vai se importar com isso? Por que é tão importante que Jesus tenha realmente sido homem? Se ele fosse apenas Deus, já não era suficiente?

É aí que entra a parte legal da história, Jesus não precisava ser homem. O fato de ser homem não acrescentava nada a Jesus, ele não ficou mais forte, ou mais bonito por ter se tornado homem. Ele não se tornou homem porque era bom pra ele, mas porque era bom pra nós. 

A primeira razão do porquê precisávamos que Jesus se tornasse homem é porque somente desta forma ele poderia ser nosso substituto. Lembra que ele morreu no nosso lugar? Pois é, ele precisava ser homem para viver uma vida perfeita e morrer uma morte em nosso lugar. Um homem morrendo no lugar de outros homens. Podemos aprender mais disso em Romanos 5.

A segunda razão é que ele se tornou exemplo para nós, ele passou pelo mesmo que passamos, mas sem pecar, e agora podemos seguir seu exemplo, de um homem perfeito.

Apesar disso não podemos esquecer que ele também tinha uma segunda natureza, a natureza divina.

Natureza #2 – Jesus é Deus

“Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz.” Is 9.6

Este é um versículo que descreve como Jesus seria. Dê uma olhada nos nomes pelos quais ele foi chamado. É impossível achar que “Deus Poderoso” ou “Pai Eterno” não significam que Jesus é Deus, mas existem muitas pessoas que não acreditam nisso.

Existem muitos argumentos para provar que Jesus é Deus. Entre eles os nomes que são usados para Jesus: Deus (Hb 1.8); Filho de Deus (Mt 16.16); Senhor (Mt 22.43-45); Rei dos reis e Senhor dos senhores (Ap 19.16). E também as características de Jesus são características de Deus: Onipotência (Mt 28.18); Onisciência (Jo 1.48); Onipresença (Mt 18.20); Vida (Jo 1.4; 5.26); Verdade (Jo 14.6); Imutabilidade (Hb 13.8).

Mesmo assim nem todos acreditam que ele é Deus. A pergunta é: por que é tão importante que ele seja Deus? Que diferença isso faz?

Então, Jesus ser humano permite que ele seja o sacrifício por um humano, permite que seu sacrifício possa ser em nosso lugar, mas ele ser Deus é o que permite que este sacrifício tenha valor diante de Deus para toda a humanidade. Não foi apenas um homem sofrendo por um homem, mas foi Deus sofrendo por todos os homens. 

Gratidão

O que aprendemos na Bíblia é que Jesus é plenamente Deus e perfeitamente humano. Sendo Deus ele não precisava se tornar homem, mas fez isso para morrer em nosso lugar. Saber disso nos traz alegria, gratidão, vontade de adorar, e para terminar quero deixar falar como Paulo:

“...enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo.” Tt 2.13





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação