Jovem Crente: Um ano para ficar na história

Um ano para ficar na história


"Oi Julyana, tudo bom? Eu sou jornalista e queria saber um pouco mais sobre sua experiência do gap year." Foi mais ou menos assim que as lembranças de um dos melhores anos da minha vida vieram com força na última semana quando me procuraram para saber a respeito do ano sabático que eu tirei para ir para São Paulo.

Há dois anos atrás eu fazia minhas malas para passar um ano em Atibaia no Seminário Bíblico Palavra da Vida. Lá, eu faria o Curso de Liderança e Discipulado (CLD) para aprender mais sobre as Escrituras e como aplicá-las ao meu dia a dia. E assim foi. Em março de 2015 eu tranquei minha faculdade de Jornalismo para me dedicar àquilo que realmente importa: aprender mais do Senhor!




Se eu ouvi que eu era doida por estar fazendo isso? Várias vezes. Se me disseram que isso iria atrasar minha vida? Com certeza! Mas, apesar de tudo isso, eu tinha a firme convicção de que dedicar esse ano a Deus para aprender a servi-Lo melhor seria de muito maior ganho para mim. E, novamente, assim foi. 

Olhando para trás, hoje percebo o quanto esse ano foi essencial para minha caminhada cristã, o quanto foi importante para que eu amadurecesse espiritualmente, pessoalmente e profissionalmente. Todos esses meses que eu passei morando com mais oitenta jovens, longe da minha família, em um lugar completamente novo e isolado do resto do mundo e com pessoas que eu nunca tinha visto antes, serviram para me ensinar mais sobre o amor de Deus e sobre Seu propósito para minha vida. 

Diferente do que a maioria das pessoas pensa, eu não fui para lá pensando em ser missionária. Para falar a verdade, eu não tinha muita noção do que Deus estava preparando para mim. Eu já nutria um desejo muito grande de fazer o curso desde o ensino médio. A mudança que tinha visto em outras pessoas me fazia desejar cada dia mais poder aprender a ser um instrumento nas mãos do Senhor assim como eles foram instrumentos para abençoar minha vida. Mas, as coisas nem sempre saem do jeito que nós planejamos. 

Meu sonho era sair do colégio e ir para lá, mas esse não era o desejo dos meus pais. Com medo de eu desistir dos estudos, eles me incentivaram a entrar na faculdade antes de ir. Então, Deus, muito antes que eu percebesse, já estava me ensinando lições valiosas antes mesmo que eu fosse para o Seminário. A paciência, a perseverança e a obediência tiveram que ser MUITO trabalhadas na minha vida. E olha, não foi fácil, viu. 

Depois de esperar um ano, eu finalmente estava fazendo minhas malas para ir para o tão aguardado CLD. Viagens missionárias, acampamentos, estudo da Bíblia, trabalho voluntário, finalmente eu iria viver essa experiência tão incrível, mas… 


Nem tudo são flores

Exatamente. Nem tudo são flores. Convenhamos que a vida cristã nunca foi feita para ser glamourosa. Mas, não é isso que nós vemos sendo pregado muitas vezes por aí. E, pior de tudo, não é isso que nós vivemos. Pelo menos, uma das primeiras coisas que eu percebi foi que não era isso que eu vivia. Minha vida confortável e, por incrível que pareça, minha bolha de convivência cristã me impediam de perceber as dificuldades reais de quem está no campo. Lá, eu fui desafiada a deixar minha zona de conforto de lado e aprender a depender de Deus mesmo quando parece que tudo está dando errado. Mesmo quando não existem resultados aparentes ou quando a saudade de casa ameaça aparecer. O campo missionário não se resume aos vídeos evangelísticos que assistimos nas nossas Igrejas. Mais importante ainda, aprendi que o campo missionário é onde nós estamos e que minhas desculpas para não falar de Jesus só adiantavam para me tornar uma cristã ainda mais medíocre. 

Isso também vale para a zona de conforto espiritual. Isso acontece quando imaginamos que já somos cristãos bons o suficiente e achamos que não temos muito para aprender. Eu cheguei lá pensando dessa maneira, e, graças a Deus, eu quebrei a cara.


Investindo na eternidade 

Essa foi uma das lições mais valiosas que eu aprendi em todo o meu ano. Se tem uma frase que eu aprendi lá e que eu levo para a vida é "invista em coisas que têm valor eterno". Isto é, invista no seu tempo com Deus, busque a Ele e passe isso para outras pessoas. Ame as pessoas como Jesus amou, ame compartilhando da sua Palavra, gastando tempo, considerando os outros superiores a você e se deixando gastar por eles. (Fp 2.3 e 2 Co 12.15). Dou graças a Deus por pessoas que investiram na minha vida e que foram benção e instrumentos nas mãos do Senhor para me ensinar. Com eles, aprendi o que é disciplina, aprendi a importância de ter um tempo a sós com Deus e que nada nessa vida é mais importante do que servir a Ele. 


Olhos no céu, pés na terra

Como eu disse, eu não fui para lá pensando em ser missionária. Eu não sabia o que Deus tinha preparado para mim, mas Ele, em sua infinita sabedoria, já sabia. Meu desejo era servir a Ele, mas eu não sabia como. E, sinceramente, fiquei bastante surpresa com o rumo que as coisas tomaram. Devo confessar que eu estava bem frustrada com o meu curso e imaginei que depois desse ano eu iria desistir ou fazer alguma outra coisa. Não foi isso que aconteceu. Ao longo do ano, Deus foi me dando diversas oportunidades de servi-lo com aquilo que eu já tinha aprendido e de perceber o quanto eu poderia glorificá-Lo com o que eu já estava fazendo. Isso não quer dizer que eu já tenho meu futuro definido ou que eu vou fazer isso para sempre, mas sei que por agora é onde Deus me quer. Aprendi a descansar nEle quanto ao meu futuro, sabendo que o que Ele espera de mim é viver uma vida de santidade que O honre e busque agradá-Lo em tudo. Aprendi que não devo dar apenas um ano da minha vida ao Senhor, mas a minha vida inteira. E, enquanto Ele não voltar, posso usar as ferramentas que Ele me dispõe para fazê-lo conhecido nesta terra. Hoje, Deus tem me dado a oportunidade de usar o meu curso para abençoar outras pessoa. Uma dessas formas é escrevendo aqui no blog, algo que eu nunca imaginei estar fazendo e que foi um presente de Deus. 

Por fim, posso dizer que esse ano em que eu fui para o CLD foi um dos anos de maior aprendizado na minha vida. As amizades, as experiências, as viagens, as aulas, tudo isso foi incrível, mas o melhor de tudo mesmo é olhar para trás e perceber que nós não somos mais os mesmos. Não porque o curso nos mudou, mas porque Cristo nos mudou.




Artigos Relacionados:

- CLD - Desafio de Deus
- A Influência do ambiente universitário










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação