Jovem Crente: O preço do seu testemunho

O preço do seu testemunho


Quando eu ouvia falar de "Igreja Perseguida", minha cabeça ia automaticamente para a história da igreja primitiva, me lembrando da história de Paulo e de vários mártires que perderam suas vidas ao propagar o Evangelho. Minha mente também se enchia de imagens dos missionários que se entregam para pregar o evangelho às pessoas onde o Cristianismo é proibido, ou dos países daquela famosa Janela 10x40. São histórias que nos chocam e nos motivam, e nos fazem pensar em como nossa vida é fácil.


Mas, ao mesmo tempo, são coisas tão completamente diferentes da nossa realidade que, depois de um tempo, esquecemos as histórias e voltamos à nossa rotina como se nada tivesse acontecido. Chegamos até pensar que não existe perseguição aqui. Será?

Nós vivemos em um contexto de constantes batalhas ideológicas, onde diversos assuntos polêmicos são levantados e onde os padrões bíblicos para todos os aspectos das nossas vidas são considerados arcaicos e passam a ser ridicularizados. Onde aqueles que defendem e buscam encorajar pessoas a viver uma vida de santidade de acordo com o que a Bíblia diz são alvos de insultos e comentários maldosos.

Ontem eu me deparei com uma cena dessas, onde duas moças americanas com um ministério incrível para garotas e moças foram ridicularizadas por duas pessoas de forte influência na internet. São pessoas que não acreditam em Deus e que militam por inúmeras causas sociais. Ao ver as imitações, as distorções e os comentários maldosos sendo feitos diretamente e escancaradamente contra essas moças, eu fiquei extremamente zangada e triste. Eles não estavam atacando apenas elas como pessoas, mas estavam atacando diretamente a Deus e ao evangelho, levando milhares de pessoas a rirem com eles.

Ao ver tudo aquilo, eu não tive como não me imaginar na posição delas. O que eu faria? Como eu reagiria àquilo tudo? Será que eu continuaria com o ministério? Será que eu continuaria a pregar as verdades contidas na Bíblia sem medo? Será que eu aguentaria a pressão ou cederia?

Pensando nisso, eu me lembrei da mensagem que Pedro passou para os cristãos que estavam sofrendo perseguição e percebi como a Palavra de Deus é realmente viva:

"Não retribuam mal com mal, nem insulto com insulto; ao contrário, bendigam; pois para isso vocês foram chamados, para receberem bênção por herança. [...] Quem há de maltratá-los, se vocês forem zelosos na prática do bem? Todavia, mesmo que venham a sofrer porque praticam a justiça, vocês serão felizes. 'Não temam aquilo que eles temem, não fiquem amedrontados'.  Antes, santifiquem Cristo como Senhor em seu coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que pedir a razão da esperança que há em vocês. Contudo, façam isso com mansidão e respeito, conservando boa consciência, de forma que os que falam maldosamente contra o bom procedimento de vocês, porque estão em Cristo, fiquem envergonhados de suas calúnias. É melhor sofrer por fazer o bem, se for da vontade de Deus, do que por fazer o mal. Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus. Ele foi morto no corpo, mas vivificado pelo Espírito"
1 Pedro 3:9, 13-18 NVI

Quando li essa passagem, senti orgulho daquelas duas moças que estão dispostas a se expor daquela forma por simplesmente terem tomado a decisão de não se esconderem, de não se calarem. Esse tipo de comportamento me encorajou muito mais a viver plenamente aquilo que eu tenho estudado e aprendido sobre Deus e sobre o Seu plano para a minha vida. Quero realmente viver aquilo que Paulo diz aos Romanos, “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente”.

Nós, cristãos, entendemos que devemos seguir na contramão do mundo. Mas que preço estamos dispostos a pagar por levar isso a sério? O que estamos dispostos a sofrer por nos mantermos fiéis à Palavra de Deus? Acreditar em todas essas coisas pode até ser fácil; vivê-las, demanda um pouco mais de trabalho. Mas e quanto ao sejam luz do mundo? E quanto ao Ide? E quanto ao façam discípulos?

Somos chamados para refletir a imagem de Cristo onde quer que estejamos, mesmo que insultos, rejeições e perseguições possam nos seguir pelo caminho,

Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão-somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus. Atos 20:24







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação