Jovem Crente: Eu odeio regras!

Eu odeio regras!


“O novo semestre na faculdade começou e eu estava indo para a primeira aula de anatomia. Geralmente na primeira aula o professor explica tudo o que vai acontecer durante o semestre. Ele começou: “Não pode chegar mais de 5 minutos atrasado”, “Não pode sair para beber água, ir ao banheiro ou deixar a sala”, “O celular deve ficar desligado”, “Não pode fazer prova a lápis”, “Não pode vir de shorts, calça rasgada, legging, chinelo ou regata para a aula”, “Não pode comer dentro da sala”, “Não pode mascar chiclete”, “Não pode... não pode... não pode...”.

Essa é uma história fictícia um pouco exagerada, mas que, com certeza, deixaria muitas pessoas irritadas.

Quem nunca sentiu como se existissem tantas regras que elas chegam a sufocar, e você não consegue ser você mesmo? Ou que elas o limitam? Você já achou que não precisava das regras pois conseguia se virar sem elas? Ou ainda que você sabe qual o melhor jeito de ser feito, então não vai cumpri-las? “Eu acho que sou independente e não preciso que me digam o que devo ou não fazer... Eu quero fazer as coisas do meu jeito e não quero que me limitem...”

Sabe o que está por trás disso tudo? O ORGULHO!                                        

“Da mesma forma jovens, sujeitem-se aos mais velhos. Sejam todos humildes uns para com os outros, porque "Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes.”
1 Pedro 5:5

Muitas vezes, ficamos irritados com as regras que nos são impostas, ou não queremos nos submeter a elas por acharmos que somos superiores e que sabemos cuidar muito bem da nossa vida. Assim, pensamos que regras nos limitam e tiram a nossa liberdade a ponto de não precisarmos obedecer. O nosso coração é egoísta, orgulhoso e procura somente os próprios interesses, sem pensar nos outros e naquilo que traria mais glória para Deus. Procuramos então aquilo que achamos certo. Procuramos satisfazer os nossos desejos e a nossa alegria, em vez de obedecer a Deus, que nos manda obedecer às autoridades.

"Não falem tão orgulhosamente, nem saia de suas bocas tal arrogância, pois o Senhor é Deus sábio; é ele quem julga os atos dos homens.”
1 Samuel 2.3

O que fazer então para consertar esse pensamento errado que está em muitos de nós, jovens?
Reconhecer que isso é pecado e não agrada a Deus, e trocar o orgulho pela humildade!

“Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor.” Efésios 4.2

A humildade deve nos levar a aceitar as situações mesmo que discordemos. Devemos pensar que as pessoas devem ter um motivo para ter criado as regras, e obedecê-las com um coração disposto. Isso é um sinal de submissão, em primeiro lugar a Deus, que nos pede obediência às autoridades, e em segundo, a quem as criou. A humildade também nos leva a obedecer e respeitar aquilo que nos é imposto sem murmurar, aceitando que Deus está no controle de todas as situações e que essas experiências farão com que sejamos mais parecidos com Cristo.

A humildade é algo que Deus pede de nós. Só vamos conseguir praticá-la se estivermos com os olhos fixos em Jesus, que é nosso maior exemplo. A graça de Deus que nos salva é o que nos transforma a cada dia em pessoas que conseguem obedecer, sem murmuração e muitas vezes sem entender o real motivo, refletindo a Cristo.  

As regras são difíceis de serem obedecidas, mas a vontade de Deus é que o façamos. O que nos encoraja nessa caminhada de luta contra os nossos pecados é que a graça de Deus é suficiente para nos salvar e nos transformar. Além disso, ele está conosco em todas as nossas lutas, fortalecendo-nos e transformando-nos!

“…minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza…”
2 Coríntios 12.9

“Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus.”

Filipenses 1.6






Ana Esther Oliveira

Ana Esther fez o Curso de Liderança e Discipulado pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida, em Atibaia - SP.
Atualmente, faz sua Pós Graduação em Fisioterapia Esportiva no Hospital das Clínicas - USP, em São Paulo. É membro da Igreja Batista Memorial de Jundiaí, onde auxilia no ministério com adolescentes.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação