Jovem Crente: Amizades Superficiais

Amizades Superficiais


Outro dia, vendo uma série, me deparei com uma realidade que chamou bastante a minha atenção. Duas pessoas que tinham um relacionamento profundo pela internet, que trocavam mensagens o tempo inteiro marcaram de se conhecer. Quando as duas pessoas se viram, perceberam que não se conheciam. Tudo o que elas imaginaram em termos físicos e até do jeito uma da outra, não eram reais. E foi aí que eu fiquei bem pensativo, porque nós temos nos relacionado com MUITAS pessoas por meio das redes sociais, mas quais desses relacionamentos poderiam realmente ser descritos como amizades?
Hoje, se não gostamos de algo que alguém falou, simplesmente bloqueamos ela nas redes sociais. Ao mesmo tempo que podemos falar “qualquer coisa”, pois estamos atrás de uma tela, ou seja, temos “proteção” para dizer o que pensamos da forma que quisermos. Muitas pessoas, enquanto na “realidade” são extremamente tímidas, mas por trás dos teclados (seja qual for o tamanho deles), ela se torna outra pessoa. Qual o problema com isso? Nós não temos desenvolvido amizades de verdade! Talvez até chamemos muitos de amigos, mas a palavra tem perdido cada vez mais o seu significado. Se olharmos no Wikipédia, veremos que ele nos dará uma definição tem se tornado rara em nossos relacionamentos:

[1]“é uma relação afetiva [...] entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade ao ponto do altruísmo.”

Ou seja, amizade é conhecimento mútuo que tem a lealdade e altruísmo incluso. Com isso, podemos ver uma grande ajuda das redes sociais em deixar pessoas que estão longe, de certa forma “perto” de nós. Mas o problema é que temos desenvolvido relacionamentos superficiais. Não há envolvimentos profundos, porque temos nos acostumado com o virtual. A amizade é definida como uma relação que assemelha-se a uma caminhada. E a amizade de Davi e Jonatas nos ilustra muito bem isso!

1 Ora, acabando Davi de falar com Saul, a alma de Jônatas ligou-se com a alma de Davi; e Jônatas o amou como à sua própria alma. [...] 3 Então Jônatas fez um pacto com Davi, porque o amava como à sua própria vida. (destaque dado por mim)

Nós podemos ver que Davi e Jônatas se conheceram e “a alma de Jônatas ligou-se com a alma de Davi”, ou seja, eles se tornaram amigos íntimos. Eu tentarei destacar dois pontos dentro da amizade verdadeira dos dois que devem estar presentes nas nossas amizades.

1. É UMA RELAÇÃO ALTRUÍSTA (QUE PENSA NO BENEFÍCIO DO OUTRO)

Jonatas era filho do Rei Saul. E Saul queria matar Davi. Fora isso, Jonatas era o príncipe e sucessor de seu pai ao trono. Mas mesmo Saul avisando Jonatas que enquanto Davi estivesse vivo o seu trono estaria em perigo, Jonatas relevou isso e quase morreu defendendo Davi (1Sm 20.33). Davi, por sua vez, quando Jonatas morreu, procurou um descendente vivo dele, e ao encontrar o seu filho, Mefibosete, levou ele para morar no palácio (2Sm 9.10). Ou seja, um se importava com o outro a despeito de seus próprios interesses. Eles não estavam preocupados com o que o outro poderia lhe oferecer. Eles simplesmente abriram mão daquilo que era melhor, ou mais seguro e decidiram caminhar em uma amizade profunda.
Uma amizade verdadeira não lhe deixará cômodo, pois você sempre irá prezar pelo bem físico e espiritual do seu amigo. Você investirá de modo a edifica-lo e proporcionar crescimento, nem que para isso você tenha que exorta-lo ou correr riscos. (1Ts 5.11)

2. AMOR FIEL

Deus nos chama a ter amizades fiéis. Que permaneçam firmes ao nosso lado em qualquer situação, visando sempre o NOSSO MELHOR (Pv 17.17). Talvez Provérbios 18.24 ilustre muito bem qual deve ser nossa postura frente as redes sociais:

Quem tem muitos amigos pode chegar à ruína, mas existe amigo mais apegado que um irmão.

Não importa quantas pessoas temos no facebook, porque a amizade verdadeira é construída com poucas pessoas. E são essas pessoas, que nós tratamos como se fossem nossos(as) irmãos(ãs), que são amigos de verdade. Pessoas que investem na nossa vida, assim como nós investimos na vida delas. Assim como Jonatas e Davi caminharam juntos, nós temos que caminhar com pessoas visando a cruz de Cristo e definindo-a como o foco da amizade. Nossa caminhada não nos dará apenas bons momentos e boas risadas, mas ela foca na maneira como nós fielmente nos moldamos a imagem de Cristo, mesmo que por meio do sofrimento e angustia. A fidelidade dentro de um relacionamento depende da forma como enxergamos nosso compromisso com Deus.
Davi e Jonatas foram fieis, porque eles entendiam que Deus tinha um plano perfeito para suas vidas e a amizade deles estava dentro de tal plano. A fidelidade de uma amizade depende de quanto permanecemos fieis a Deus, pois assim sempre amaremos e nos importaremos intimamente com nossos amigos.

CONCLUSÃO
Nós precisamos parar de vivermos “amizades” superficiais e precisamos começar a ter amizade verdadeiras. Nós precisamos exortar e edificar os nossos amigos. Precisamos ama-los. Devemos ter uma fidelidade dependente dos propósitos de Deus, se importando com as coisas temporais, mas focando nos aspectos eternos que nossos amigos têm vivido.
As amizades são bênçãos de Deus para que as pessoas se amem mutuamente, crescendo e investindo rumo as promessas eternas de Dele.
Sente com os seus amigos. Converse. Fale sobre suas dificuldades e busque conselhos. Crie grupos de cobrança. Não deixe que o comodismo e a indiferença gerem amizades artificiais, com pessoas que na verdade, não o conhecem. 




[1] https://pt.wikipedia.org/wiki/Amizade


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação