Jovem Crente: Espelho, espelho meu

Espelho, espelho meu


Ao longo do tempo, os padrões de beleza mudaram muito: roupas, sapatos, cortes de cabelo e até mesmo o formato e tipo de corpo que a sociedade considera como padrão e ideal sofreram diversas alterações. Tais mudanças tornam ainda mais difícil a relação das pessoas com sua própria aparência, uma vez que todos nós o desejo inato de sermos aceitos e, muitas vezes, buscamos tal aprovação por meio de nossos atributos estéticos. Mas o que a Bíblia diz sobre a nossa aparência? Qual é a beleza que realmente importa aos olhos de Deus? Como ter um comportamento adequado em meio à ditadura da beleza e ter uma concepção correta dos nossos corpos de acordo com a Palavra de Deus? É sobre dois aspectos da nossa aparência que iremos tratar no artigo dessa semana.

A verdadeira beleza é interior

“O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração”.
1 Samuel 16.7b

Quando o assunto é beleza, provavelmente o que vem à mente são características físicas, relacionadas à nossa aparência exterior. Entretanto, a Bíblia nos ensina que a verdadeira beleza é interior. Deus está muito mais preocupado com seu coração do que com o seu rosto ou corpo.

É claro que não há nada de errado em gostar de se cuidar e se arrumar, a questão é que devemos ter bem claro em nossas mentes e corações que aquilo que nos torna verdadeiramente belos não são nossos atributos físicos, mas sim o nosso interior.

Você já conheceu alguém que não achou muito atraente de primeira, mas após conhecer melhor, e perceber como essa pessoa busca a Deus verdadeiramente, passou a achá-la muito mais bonita? Segundo Elizabeth George, escritora cristã americana, “a presença de Deus em nós e operando em nós faz com que sejamos belos nele, interiormente”, ou seja, uma bela vida interior acaba sendo irradiada para o exterior.

Meu corpo: um templo

Como já vimos, a beleza que realmente importa para Deus é a da nossa vida interior, contudo, cuidar do corpo físico é, sem dúvidas, bastante importante e, muito mais do que se importar em fazer isso com o intuito de modificá-lo e melhorá-lo, o objetivo de tal cuidado deve ser honrar e glorificar a Deus.

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”. 1 Coríntios 10.31

A Bíblia usa várias vezes o termo “templo” fazendo referência ao nosso corpo, o que denota a importância que ele tem, e, fazendo uma ligação com o uso do templo no Antigo Testamento, esse era um local essencial para o relacionamento do homem com Deus, ali havia pedido de perdão pelos pecados e a adoração era rendida ao Senhor. Com Jesus, não precisamos mais do templo para essas coisas. É claro que devemos congregar em uma igreja e ter comunhão com os irmãos, mas podemos pedir perdão, adorar e nos relacionar com Deus intimamente, sem intermediários, pois somos habitação do Espírito de Deus, e é com nossos corpos que podemos ter esse relacionamento. Usando ele que podemos servir, louvar, orar, abraçar, cuidar, enfim, viver a vida cristã.

“Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos?”
1 Coríntios 6.19

Cuidar e exercer boa mordomia do nosso corpo é resultado da compreensão da necessidade que temos de usá-lo para cumprir aquilo que Deus espera de nós como cristãos. Com um bom cuidado dos nossos corpos, temos, na medida do possível, disposição, energia, saúde e bom ânimo. Gosto muito do exemplo de Daniel. Quando ele foi levado até o palácio do rei Nabucodonosor, na Babilônia, decidiu se alimentar de forma diferente, de maneira que demonstrasse sua fidelidade a Deus. Isso agradou ao Senhor, e ele concedeu sabedoria a Daniel, sabedoria essa que foi visivelmente notada por todos de tal modo que Daniel foi tido como apto para servir diretamente ao rei. Com uma boa saúde e disposição, servimos a Deus com mais excelência e, mesmo que um cristão tenha problemas crônicos de saúde, ao manter-se saudável na medida do possível, mostra que tem todas as áreas da sua vida entregues a Deus.

“Daniel, contudo, decidiu não se tornar impuro com a comida e com o vinho do rei, e pediu ao chefe dos oficiais permissão para se abster deles. ‘Peço-lhe que faça uma experiência com os seus servos durante dez dias: Não nos dê nada além de vegetais para comer e água para beber.’ O rei conversou com eles, e não encontrou ninguém comparável a Daniel, Hananias, Misael e Azarias; de modo que eles passaram a servir o rei.” 
Daniel 1.8,12,19

Crer em Jesus e chamá-lo de Senhor significa entender que todas as áreas da nossa vida estão submetidas ao seu senhorio: nosso dinheiro, nossos relacionamentos, nossa fala, nossos pensamentos e claro, nossos corpos. Mesmo que seja um desafio nos alimentar, exercitar e cuidar dos nossos corpos pensando em glorificar a Deus, tais atitudes mostram um coração entregue e desejoso de honrar aquele que se entregou por inteiro a nós.

“Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma raiz saída de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia em sua aparência para que o desejássemos. Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças; contudo nós o consideramos castigado por Deus, por ele atingido e afligido. Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados.” 
Isaías 53.2,4,5

Diante dessa atitude do próprio Deus, de se entregar por completo, por amor a nós, não nos resta outra atitude se não nos entregarmos por completo, por amor a ele. Deus quer ser honrado em todos os aspectos, e nossos corpos são o nosso maior instrumento para fazê-lo.


.  




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação