Jovem Crente: Quando o passado me atormenta

Quando o passado me atormenta


Por incrível que pareça, existe um episódio do Chaves (uma série de comédia da televisão mexicana), que lida um pouco com a questão da consciência e da culpa por ter feito algo errado, e ainda é falado sobre perdão. Assista este episódio aqui e vamos conversar um pouco sobre isso! 


Nesta semana, nós e nossas parceiras do blog Conselho para Meninas iremos tratar sobre este tema. Elas escreverão um artigo falando de quando os outros erram conosco e como devemos agir, e aqui falaremos sobre quando nós falhamos com os outros. Assim que o artigo delas sair, você poderá lê-lo aqui.

O que acontece é que nós temos um mecanismo criado por Deus que nos ajuda a lidar com os nossos erros do passado, que é a nossa consciência. A consciência é a capacidade de lidar com julgamentos morais, ou seja, ela não é um anjinho ou um capetinha na nossa cabeça, mas sim um padrão que temos na mente e quando ferimos este padrão, ela nos acusa. Charles Ryrie, um grande teólogo, disse que: “A consciência é uma testemunha interior que diz ao homem que ele deve fazer o que acredita ser certo, não o errado. Ela não ensina o que é certo ou errado, porém nos incita a fazer aquilo que aprendemos ser o correto”.

Darei um exemplo, se você acredita que falar um palavrão é errado, este é o seu padrão, então quando você fala, sua consciência o acusa. Porém, não ter peso na consciência não significa que eu não tenha feito nada de errado, até Paulo ficava esperto com isso (1Co 4.4).

Os tipos de consciência

A Bíblia fala sobre três tipos de consciências ruins:
  •  Fraca – aquela que se sente culpada por algo que não é errado, ela não conhece o padrão (1 Co 8.4-8).
  • Corrompida – tem um padrão distorcido, a pessoa acha que coisas erradas são certas e coisas certas são erradas (Tt 1.15-16).
  • Cauterizada – de tanto pecar a consciência se acostumou e nem se incomoda mais (1 Tm 4.1-2).

O objetivo da Bíblia é nos ensinar os valores de Deus para que nossa consciência fique boa, assim ela nos ajudará a perceber o que fazemos de certo e errado. A BOA consciência é a única que cumpre seu papel.

O objetivo desta instrução é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé sincera. 1 Tm 1.5

Tendo uma boa consciência, agora temos a arma de Deus para nos ajudar a descobrir quando estamos fazendo coisas erradas ou certas. Se acertamos nossa consciência fica limpa, se erramos ela fica culpada.

Por isso procuro sempre conservar minha consciência limpa diante de Deus e dos homens. At 24.16

Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e tendo os nossos corpos lavados com água pura. Hb 10.22

O que fazer se nossa consciência nos acusa?

Se nossa consciência é boa e nos acusa, sentimos culpa e precisamos lidar com isto. Sendo honesto, lembra que eu disse que existem consciências ruins? Então, é possível alguém sentir culpa por algo que não é errado e alguém que fez algo errado não sentir culpa. É importante ir para a Bíblia e verificar se realmente pecamos.

Francis Schaeffer disse: “Quando um homem peca contra Deus, não tem apenas sentimento de culpa; tem culpa mesmo. Na verdade, ele tem culpa mesmo que não tenha sentimento de culpa”.

Creio que existem três passos que precisamos dar quando descobrimos que pecamos: confissão, arrependimento e restituição.

Confissão e pedido de perdão

Todo pecado é inicialmente contra Deus (Sl 51.4), é preciso reconhecer diante dele nosso erro (1 Jo 1.9), mas também é preciso reconhecer para as pessoas que ofendemos e pedir perdão.

Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta. Mt 5.23-24
Mudança de atitude

Já que descobrimos que estamos em pecado, parece óbvio que temos que mudar, mas nem todo mundo faz isso. Lute com todas as suas forças para não cair mais no pecado que te levou até este ponto.

Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia. Pv 28.13

Lidar com as consequências

É muito importante estar disposto a lidar com as consequências do seu erro. Quando Jesus falou com Zaqueu, ele se converte, levanta e diz que irá restituir todo mundo que ele tinha roubado. Quando Davi peca e Natã o disciplina, ele arca com as consequências disso, diferentemente de Saul, lá em 1 Sm 15.30 que admite ter pecado, mas faz isso somente para que Samuel o honre diante dos homens.

É praticamente certo que iremos errar com Deus e com as pessoas ao nosso redor. O caminho de Deus é um caminho de restauração, confissão, abandono, acerto e vida nova. Você pode seguir por este caminho e Deus quer ser seu companheiro nele. Ele tem perdão para cada um de nós, independente da área em que pecamos.



2 comentários:

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação