Jovem Crente: Por que eu existo?

Por que eu existo?


Para qual finalidade existo? Qual o sentido da minha vida? O que há depois da morte? Essas são as perguntas de muitos que nascem, vivem e morrem sem respostas. A pergunta e o problema é: Qual a sua fonte de informação?

Sociedade Existencialista e Niilista

Vivemos numa sociedade que não encontra sentido em nada e em tudo o que faz não existe um valor sólido, simplesmente existe e morre. O niilismo é isso, o auge do desespero existencial, talvez, um pouco antes disso vem o existencialismo, que também não respondeu e continua incapaz de responder as perguntas do homem.
O existencialismo poderia ser definido como: “Falta de significado e objetivo; um sentimento de que a vida é totalmente fútil; puro desespero diante das coisas confusas que ameaçam nos reduzir a nada mais do que uma estatística e, em última análise, a uma estatística de mortalidade”.
Essas duas linhas filosóficas influenciam em muito a sociedade atual, e sem percebermos somos influenciados por elas, mas elas não respondem as perguntas que procuramos. O fim lógico e último para maioria que as seguem é o suicídio, pois se não há propósito de vida, o único fim é a morte. Outras pessoas em seu desespero estabelecem um sentido para a vida, que sempre se resume a algo fútil, ao construir seus ídolos como o dinheiro, a fama, o sexo, as drogas, a carreira profissional, entre outros, assim vemos que as pessoas vão o mais longe que suas imaginações as podem levar. O quadro é triste, elas estão em constante fuga da realidade e quanto mais fogem, mais se veem desesperadas e angustiadas. Dentro delas existe um grito de desespero: NADA FAZ SENTIDO!

O início é importante.

Creio que a primeira pergunta a ser respondida é: Por quem fomos criados? Somos seres relacionais, morais e racionais, porque Aquele que nos criou é assim, então o eu ser encontra sentido e propósito no EU SOU (Gn 2.7; Êx 3.14). Partimos de Alguém, então é Ele quem dá sentido a nossa vida e nos aponta o propósito. Ele é a fonte de toda riqueza, conhecimento e sabedoria, e nos mostra o porquê de existirmos, para que existimos e como devemos viver.
O sentido e propósito da vida somente é desvendado quando se encontra a realidade, mas isso não parte de nós. Um homem muito sábio certa vez disse: Quando voltei a mente para conhecer a sabedoria e observar as atividades do homem sobre a terra, daquele cujos olhos não vêem sono nem de dia nem de noite, então percebi tudo o que
Deus tem feito. Ninguém é capaz de entender o que se faz debaixo do sol. Por mais que se esforce para descobrir o sentido das coisas, o homem não o encontrará. O sábio pode até afirmar que entende, mas, na realidade não o consegue encontrar (Ec 8.16,17).
Quanto a minha vida, houve um tempo em que nada fazia sentido, na realidade a realidade estava muito distante de mim. Contudo, fui levado a entendê-la quando Cristo me alcançou, porque ela (realidade) encontra-se nEle (Cl 2.17 - NVI). Não existem meios humanos para se chegar a isso, somente o iluminar de Deus no coração do homem, o leva a essa compreensão (2 Co 4.6). Você entendeu seu propósito de vida? Já entendeu a realidade?

Dele, por Ele e para Ele!

Então dEle viemos quando fomos criados (Sl 139.13-16), e por Ele tivemos o nosso entendimento elucidado (2 Co 4.6), para que o sentido da vida fosse encontrado. Como a Escritura diz: Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas (Rm 11.36).
Quão grande é o clamor por sentido, “muitos perguntam: Onde posso achar segurança e paz de espírito?” . Apesar disso, o homem continuar a suprimir e se rebelar contra a verdade (Rm 1.18,19), contudo, nós temos o papel de aproveitar as oportunidades e sermos relevantes onde Deus nos colocou (Cl 4.3-6). A angústia existencial, a qual muitas pessoas têm é uma excelente oportunidade de contato, temos de mostrar a razão da nossa esperança (1Pe 3.15). Agostinho disse: “Nosso coração está inquieto, porque ainda não encontrou um lugar de descanso e, muito menos, se deu conta de que o único lugar de descanso possível é o próprio Deus.”  Se nós como cristãos não descansarmos em Deus e não entendermos que toda nossa esperança É Ele e ESTÁ nele, como conseguiremos mostrar a sociedade que somos e temos algo diferente!

Uma breve reflexão

Isso me leva a pensar sobre nós cristãos.
Será que temos essas respostas esclarecidas em nossa mente? Infelizmente, muitos não as têm. Mas, parece-me que finalmente nos aproximamos de uma vida com sentido e propósito se entendermos um pouco sobre o que foi abordado. Como cristãos não vivemos semelhantemente a alguém preso a buscar sentido em coisas vãs, pois vivemos a vida que nos foi dada em Cristo. Vivemos para a glória de Deus (1Co 10.31), fomos criados para as boas obras (Ef 2.10), porque a Ele seja a glória eternamente (Rm 11.36).
Tudo o que somos em Cristo, reflete naquilo que somos na prática. Sendo assim, nada em nossas vidas fará sentido caso não seja feito para Cristo.
Temos perdido isso de vista ou pensado sobre o assunto? O ritmo da sociedade tem dado o ritmo pras nossas vidas? Um professor meu disse: "O cristão precisa ser um determinador de ritmo voltado para a Eternidade e a Eternidade determinando a história". Eu e você, temos de mostrar a sociedade que existe propósito e sentido, e não nos deixarmos levar por essa loucura. Somos eternos, e se assim o somos, vivemos para o Eterno e não voltados para o passageiro, vão e fútil sopro que a nossa vida (Is 40.6; 1Co 7.31; 1Pe 1.24; 1Jo 2.17).
Esse professor também disse: "As pessoas estão buscando o todo da vida em coisas que são parte da vida". Quantas vezes não tornei o estudo um fim em si mesmo. Por que deixei uma parte da minha vida influenciar o todo? Quantos cristãos gastam horas por dia para passar em uma faculdade de renome, e se esquecem do Eterno, porque seguiram o ritmo da sociedade que mutila os alunos de cursinho por tanto estudar? Será que o emprego, o estudo, a família, o esporte, os games, entre tantos outros ídolos que o nosso coração possa criar, não nos tem colocado na inércia e apagado nosso testemunho diante das pessoas?

Somos a resposta a tão grande clamor.

Existe um grande clamor no mundo e nós cristãos temos de ser a resposta, eu preciso ser a resposta. O que penso sobre: bioética, política, trabalho, vida familiar, esportes, tem que estar diretamente aplicado a minha vida diária, norteado de princípios bíblicos e contextualizado de forma relevante, para que as pessoas entendam a mensagem do Evangelho. Assim, quem sabe uma luz emergirá no coração de muitos, os quais verão quem é Cristo, porque tudo o que fazemos é o que ele faria, e por fim chegarão ao pleno conhecimento da verdade.
Viva o Evangelho, na sua casa, na escola, no trabalho e em todos os lugares que for. Constantemente, initerruptamente, a cada momento de expiração e inspiração, viva como Cristo viveria, transpire a vida dEle, assim o evangelho será plenamente anunciado.  Minha oração é que Deus nos use, mas primeiro que ele nos ajude a entender, o sentido, o propósito e a realidade da nossa vida, por fim em tudo Cristo será glorificado.

Uma breve proposta: "O todo de nós em Cristo, para que em tudo O glorifiquemos".


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação