Jovem Crente: Se relacionando com Deus - Qual a necessidade da oração?

Se relacionando com Deus - Qual a necessidade da oração?

Você já se perguntou porque o cristão deve orar? Ou melhor, você já se pegou pensando no porquê você ora? Se nós observarmos, há situações pontuais em que nós sempre oramos, como no almoço, no culto da igreja, etc. Mas será que a oração é algo que se limita a momentos pontuais? Em Mateus 6.7-8 vemos a seguinte instrução de Jesus sobre a oração: “E, quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos [...]”! Será que nossas orações pontuais também não são orações “padrões”, que nós sempre fazemos nessas ocasiões sem pensar, tornando-as mais uma reza do que uma oração genuína? Se nós olharmos para 1 Tessalonicenses 5.17-18, veremos que Paulo diz: “Orai sem cessar. Sede gratos por todas as coisas, pois essa é a vontade de Deus em Cristo Jesus para conosco”, sendo assim, é preciso ter em mente que nós precisamos estar em constante oração! Não que precisamos estar sempre de olhos fechados e assim não possamos conversar com as pessoas a nossa volta, só porque devemos orar.
A oração contínua se resume no versículo 18, quando nos é dito “sede gratos por todas as coisas” (1Ts 5.18). Este “sede gratos” traz a ideia de uma gratidão continua por tudo o que Deus fez, tem feito e irá fazer nas nossas vidas! Tanto sou grato por estar vivo, como por ter uma casa para morar, por ter saúde, como eu também pelo sacrifício salvífico de Cristo por mim e pela promessa de satisfação eterna que Deus coloca para mim nas Escrituras. Então, um parâmetro para a nossa oração é desenvolvermos um relacionamento com Deus firmado na gratidão, que não está limitado a um momento específico, mas é expresso em cada circunstância das nossas vidas.
Agora, não espere que isso seja a única coisa que você deve fazer, mesmo que só somente isso já seja algo difícil de ser buscado alcançado. Se nós olharmos para a vida de Jesus Cristo, veremos que Ele foi um homem de oração (1.35), que não somente era grato em todo o tempo a Deus, mas também separava momentos para orar e colocar diante de Deus coisas em específico. Oração não é algo natural para nós! Por causa do pecado, mesmo que tentemos ter uma vida de oração e comunhão com o Pai, nós muitas vezes teremos dificuldades porque o pecado nos distancia dos planos de Deus. Por isso, a oração deve ser algo a ser perseguido constantemente, tanto através de momentos específicos quanto de toda uma vida de devoção a Deus.
Você pode pensar: “Mas Deus já não conhece aquilo que eu penso? Porque orar então?” Deus conhece os seus pensamentos, mas Ele lhe dá uma oportunidade de apresentar suas aflições e alegrias diante d’Ele, como um diálogo amigável, onde nós crescemos e somos fortalecidos, e acima de tudo Deus é glorificado. 
Você não aprenderá a orar a menos que comece! Romanos 8.26-27 diz que “Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquEle que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a vontade de Deus, intercede pelos santos”, o que nos deixa claro que mesmo que não saibamos como orar, o Espírito Santo intercede por nós. Sendo assim, sabemos que Deus quer que nos acheguemos a Ele por meio de uma profunda devoção, a qual é para o cristão um enorme privilégio!
Faça compromissos com você! Nós sabemos que se não colocarmos alvos práticos, não começaremos. Então, determine um tempo no seu dia para orar; faça uma lista de oração com pedidos e agradecimentos e apresente-a diante de Deus; determine assuntos diários para você orar, como trabalho, estudos, família, igreja, país. Passe tudo para atitudes práticas, para que você seja um cristão que ora e que busca ser cada vez mais parecido com Jesus Cristo!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação