Jovem Crente: Heróis Reais – Um desafio contra a acomodação cristã

Heróis Reais – Um desafio contra a acomodação cristã

Atualmente, filmes e seriados de heróis tem conquistado a simpatia dos jovens, basta olharmos para a quantidade de filmes lançados nos últimos anos com esta temática. Vimos estórias de heróis antigos dos quadrinhos sendo ressuscitadas, como o Capitão América, Os Vingadores, Thor (um deus herói) e vários outros. E se olharmos para a agenda das gravadoras para os próximos anos também veremos vários filmes deste gênero sendo produzidos para serem lançados em breve. Seriados de heróis também tem conquistado popularidade entre jovens e adolescentes. Por quê? 

Há certo tempo li um artigo que falava sobre a necessidade que as pessoas possuem de admirarem outros por suas conquistas e feitos extraordinários.As pessoas precisam de referenciais e isso ocorre também em nosso mundo real. Admiramos pessoas com muita facilidade, gostamos de criar ídolos e referenciais para as nossas vidas. Se alguém lhe perguntar, provavelmente você saberá dizer o nome de pessoas que inspiraram ou inspiram a sua vida e provavelmente nenhuma delas por possuírem algum poder sobre-humano.
O fato é que as pessoas que mais nos marcam são aquelas que com muita coragem, e às vezes com até um pouco de loucura, fazem decisões extremamente difíceis por uma causa maior. Quem não admiraria um pai que luta dia após dia para prover para seus filhos e esposa os recursos necessários para que tenham alguma qualidade de vida? Ou então estas pessoas que conduzem tantos projetos para ajudarem pessoas necessitadas em lugares carentes, e que gastam suas vidas nisso? Um líder que se sacrifica pelos seus liderados? Um professor que se dedica além do esperado por desejar o desenvolvimento de seus alunos? Um bombeiro que arrisca a sua vida por desconhecidos, ou mesmo um policial que vem a falecer para salvar outras vidas? Todos nós sabemos admirar as pessoas certas. 
No entanto, há um grande dilema no cristianismo atual, que envolve jovens, adultos, adolescentes e até idosos. É o fato de que não há nenhuma causa ou bem maior pelo qual se possa lutar do que a glória de Jesus Cristo, e poucos são os que entregam suas vidas por isto. Há uma triste mentalidade em deixar com que outros façam, outros se esforcem, enquanto nós somente os admiramos. É muito mais cômodo deixar com que outros sejam os referenciais a serem seguidos, mas basta olharmos para Jesus Cristo, para vermos o quanto vale a pena abandonarmos qualquer conforto por amor a Ele.
Se há um que é digno de todos os nossos esforços esse alguém é Jesus Cristo, pois “dificilmente haverá alguém que morra por um justo; pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores” (Romanos 5.7,8). Jesus viveu e morreu para cumprir a vontade do Pai, o que envolve diretamente a nossa salvação, nossa liberdade de todo o mal que nos oprime e do pecado que nos aflige, pois ele “foi esmagado por causa de nossas iniquidades [...] e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós” (Isaías 53.5,6). Primeiramente por gratidão, Jesus Cristo é a causa maior pela qual devemos lutar.
E se somente a gratidão não bastasse, o grande propósito de Deus em toda a criação sempre foi exaltar o seu Filho. Tudo o que existe, existe para Cristo e é sustentado por Cristo, “pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele, ele é antes de todas as coisas e nele tudo subsiste” (Colossenses 1.16,17). O centro do universo, aquilo que justifica a existência de todas as coisas é o nosso Senhor Jesus Cristo, e eis aí a causa maior pela qual vale a pena viver, e se necessário, como o é em alguns lugares do mundo, morrer.
Um cristão não é salvo somente para ser salvo, mas para honrar a Cristo e fazer o seu nome conhecido às pessoas à sua volta. “Por meio dele e por causa do seu nome, recebemos graça e apostolado para chamar dentre todas as nações um povo para a obediência que vem pela fé” (Romanos 1.5). Mas o que se vê hoje entre os jovens de nosso país é uma acomodação terrível que tem levado muitos a olharem com desprezo para o cristianismo. Sem dúvida o apelo que há no mundo e até dentro das igrejas para o entretenimento, o prazer e a satisfação pessoal como o objetivo final de tudo, tem-nos desvirtuado do grande propósito de nossas vidas: fazer o nome de Cristo conhecido. Estamos acomodados a vidas confortáveis, não há paixão, não há zelo.
Falamos sobre a necessidade que as pessoas tem de referenciais, a necessidade de pessoas que lutem por alguma razão que realmente valha a pena. E o desafio é justamente para que não sejamos aqueles que esperam dos outros algum referencial, mas que de fato os sejamos. E não referenciais de uma boa moral ou de alguém que contém boas virtudes, mas referenciais de alguém que vive por Jesus Cristo.
Isso não significa que você vai ter de sair pelas ruas de sua cidade proclamando a Jesus Cristo, ou então que terá de ser um pastor ou missionário, embora fazer estas coisas seja algo extremamente honroso e uma grande demonstração de amor por Ele. Mas que você deve usar daquilo que você faz para honra-lo. Nós vimos que Jesus é o centro do universo e o desafio é para que ele também seja o centro de sua vida. É por isso que na mesma carta de Colossenses, Paulo escreve: “tudo que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dele graças a Deus Pai” (Colossenses 3.17). 
Deus não quer que você honre a Ele somente aos domingos, ou somente em seus momentos de oração, Ele deseja o todo de quem você é e o que você faz. Por isso, deixe de lado as futilidades desta vida e se entregue pela maior causa do universo, honrar a Cristo, independentemente das circunstâncias, da reação das pessoas, afinal, você só esta vivo para este propósito, como disse o apóstolo Paulo: “por que para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Filipenses 1.21). Deus quer advogados que o honrem, artistas que o honrem, médicos, professores, policiais, atletas, estudantes, pois devemos encher este mundo com a glória de Cristo. E isso ocorre quando conscientemente decidimos glorificá-lo em tudo o que fazemos e aproveitamos as oportunidades que surgem para falarmos de sua pessoa. Honrar a Cristo deve nortear nossas escolhas para quais lugares frequentaremos, quais opções de lazer escolheremos, as amizades que temos, a forma como estudamos ou trabalhamos (que deve ser com excelência, em santidade, sem aceitar ou envolver-se em situações ou propostas que não o agradem), honrar a Cristo deve orientar até mesmo nossas pequenas decisões como a que filme iremos assistir ou que músicas iremos escutar. Deve influenciar nosso relacionamento com nossa família, amigos, irmãos de nossas igrejas e também desconhecidos. Enfim, honrar a Cristo deve ser a motivação principal em tudo o que nós fazemos e somos.
E com certeza, isso envolve falar de nossa motivação quando tivermos oportunidade. As pessoas devem saber que é por Cristo que fazemos o que fazemos e somos como somos. Honrar a Cristo deve ser uma paixão que pulsa ardentemente dentro de nós, que muda a forma como vivemos e incomoda aqueles que estão a nossa volta a desejarem saber de onde vem nossa alegria e satisfação. O apóstolo Pedro nos encoraja a estarmos sempre preparados: “Antes, santifiquem Cristo como Senhor no coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês” (1 Pedro 3.15).
O mundo precisa de bons exemplos, o mundo precisa de heróis. De heróis que mostrem ao próprio mundo alguma razão pela qual se vale a pena viver. Em Hebreus 11, há o que chamamos de galeria dos heróis da fé. Homens que viveram tendo em vista o que receberiam na eternidade e não neste mundo, e “por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles, e lhes preparou uma cidade” (Hebreus 11.16). Quem sabe nós não teremos o privilégio de ouvir Deus dizer o mesmo de nós? Por isso, deixe de lado tudo aquilo que o acomoda e te impede de entregar-se totalmente nas mãos de Deus, e viva por algo que valha a pena! 
“O mundo está para ver o que Deus pode fazer através de um cristão que se entrega totalmente nas mãos do seu Espírito” (D. L. Moody).


Um comentário:

  1. isso mesmo que sejamos os herois da vida real levando esse evangelho que nos salva

    ResponderExcluir

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação