Jovem Crente: Como vencer a tentação?

Como vencer a tentação?




Você sabe como ela é. Um convite sutil (ou nem tanto) para o pecado. Você já se sentiu cansada de lutar contra tentações? Frustrada por não vencê-las? Como cristãs, sempre enfrentaremos tentações aqui na Terra, em diversas áreas da vida, por causa das inclinações pecaminosas do nosso coração e pelo sistema desse mundo caído. Isso nós já sabemos... A grande questão é: Como ser vitoriosa e perseverar na obediência a Deus a cada dia?

Para nos dar a resposta, ninguém melhor que o nosso Salvador e Mestre, Jesus Cristo, que também foi tentado, mas nunca cedeu ao pecado. Nenhum pecado. Em Mateus 4, vemos que o Diabo tentou Jesus três vezes. Podemos aprender muito com a maneira como ele respondeu a essas tentações...


1ª Tentação


Jesus estava com fome. Muita fome. Acabara de passar mais de um mês em um deserto, sem comer nada. Então o Diabo disse a Jesus que transformasse pedras em pães. O que estava por trás daquela proposta estranha? O Diabo estava dizendo a Jesus que usasse o seu poder sobrenatural para suprir suas necessidades próprias. Jesus, citando Moisés (Dt 8.3), respondeu: “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus”. Ou seja, a necessidade mais profunda de Jesus era obedecer a Deus e depender dEle. A fome, é claro, é uma necessidade natural e legítima ao ser humano. Mas até isso Jesus submetia a Deus, confiando em Sua provisão e obedecendo a Ele, mesmo que isso lhe custasse. Isso era primordial para Jesus – não dar o seu jeitinho, mas manter-se fiel a Deus.


2ª Tentação 

Então o Diabo levou Jesus à parte mais alta do templo e disse: “Jogue-se daqui para baixo, pois está escrito: ‘Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão’”. Mais uma vez, o Diabo tentou Jesus a usar o seu poder de forma indevida (para ganhar seguidores por meio desse ato miraculoso e se tornar famoso), para fazer as coisas de forma diferente do plano divino. Dessa vez ele até citou a Palavra (de maneira distorcida) para “justificar” a proposta. Na verdade, o versículo anterior ao citado por Satanás diz: “Se você fizer do Altíssimo o seu refúgio, nenhum mal o atingirá” (Sl 91.9-10). Ou seja, o salmo ensina: “dependa de Deus, confie nEle, obedeça a Ele e Ele o protegerá”, e não “faça o que quiser, porque Deus o protegerá”. Jesus, sabiamente, rebateu com outra citação de Deuteronômio (6.16):"Também está escrito: ‘Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus’". Lendo o trecho a que Jesus se referiu, vemos que pôr Deus à prova significa Lhe desobedecer, e os versículos seguintes dizem que, em vez de pô-lO à prova, devemos Lhe obedecer cuidadosamente.


3ª Tentação

Como se não bastasse, o Diabo tentou Jesus novamente. E dessa vez, com muita audácia, tentou negociar a adoração de Jesus. “Depois, o diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor. E lhe disse: 'Tudo isto lhe darei, se você se prostrar e me adorar'" (Mt 4.8-9). No lugar da cruz que Jesus teria de tomar, Satanás ofereceu, pelo preço de sua adoração, um caminho supostamente mais fácil, rápido e sem sofrimento. Mas a adoração a Deus era inegociável para Jesus e, por isso, ele permaneceu em obediência. “Jesus lhe disse: Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus e só a ele preste culto’" (Mt 4.10).


Qualquer semelhança não é mera coincidência


Você percebeu algo em comum nas três tentações? A tentação sempre distorce a verdade e faz um apelo para nosso coração abrir mão da exclusividade de obediência a Deus. Ela apresenta atalhos, caminhos supostamente mais fáceis e agradáveis, em troca de um pedaço de nossa adoração. Às vezes, de forma muito sutil.

E o que dizer das respostas de Jesus? Embora ele fosse Filho de Deus, derrotou Satanás usando uma arma que todas nós temos à disposição: a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus (Ef 6.17). Ele enfrentou todas as tentações com verdades bíblicas extraídas de Deuteronômio.

Da mesma forma, somente renovando as nossas mentes na verdade da Palavra de Deus podemos vencer os apelos enganosos do pecado (Rm 12.2; Ef 4.22-24; 2 Tm 3.16-17). E pela bondade de Deus, podemos contar com o próprio Jesus Cristo, aquele que venceu a tentação, para nos socorrer e oferecer graça e misericórdia no momento da necessidade (Hb 4.15-16).

Porém, como fazer isso sem conhecer a Palavra? Sem ter comunhão com Deus diariamente pela Bíblia e a oração?  Você percebe a relação direta que existe entre a qualidade (ou não) de seu tempo diário com Deus e as vitórias (ou não) contra as tentações?


Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a tua palavra.

Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos.
Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti. (Sl 119.9-11)


Que o Salmo 119.9-11 caracterize as nossas vidas! E, assim, que a Palavra de Deus transforme nossa forma de pensar, sentir e agir, para vencermos as tentações e desfrutarmos da alegria da obediência a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação