Jovem Crente: Quem é quem? (a realidade do pecador diante da Santidade do Deus Criador)

Quem é quem? (a realidade do pecador diante da Santidade do Deus Criador)


Você já parou para pensar em como reclamamos da vida? Em o quanto temos a tendência de querer as coisas do nosso jeito, no momento em que nós achamos ser o certo, e em como não sabemos lidar com “nãos”, não sabemos esperar e não sabemos lidar com o sofrimento?  Infelizmente a maioria de nós vive cultuando o seu próprio “eu” no lugar do único e verdadeiro Deus. Mas, essa ideia é tão incoerente! Você sabe quem é você e quem é Deus?




A Bíblia nos define como pecadores, rebeldes, desobedientes a Deus, incapazes de fazer o bem (Rm 3.23; Sl 14.3). O pecado entrou no mundo e todos os homens sofreram e sofrem a consequência disso (Rm 5.12). Deus criou o homem e a mulher para refletir a imagem dEle, e eles escolheram seguir os seus próprios caminhos e desobedecer ao Seu Criador, o Deus Santo, Santo, Santo (Is 6.2-5).

Deus é justo e Santo, Ele não tolera a presença do mal. É impossível que Deus coexista com algo que agride diretamente a Sua Santidade. A falta de pureza (ou a presença do pecado) nos separa de Deus, porque envolve algo que é contrário ao Seu caráter Santo. Todo pecado é cometido diretamente contra Deus e Sua Santidade.  A partir do momento em que eu começo a perceber essa realidade, e entender quem Deus é, percebo o quanto é pequena a reverência que eu tenho diante da Grandiosa Majestade do Deus com quem me relaciono.

A Ira é a reação de Deus contra tudo que é contrário à sua Santidade (Jo 3.36). Ela expressa a justiça de Deus contra o pecado. O problema é que não entendemos isso, ou pelo menos não levamos isso tão a sério quanto Deus leva. Inclusive foi por causa da ira de Deus em relação ao pecado, que Jesus suou gotas de sangue no momento em que se entregou como propiciação pelos nossos pecados (Lc 22.44).

Você desonra e fere o caráter de Deus toda vez que peca. E ainda reclama, lamenta, faz birra, desobedece, confia no seu próprio coração e quer seguir suas próprias vontades... Miseráveis homens que somos! O nosso destino seria a ira e separação eterna de Deus, se não fosse pelo sacrifício de Jesus na cruz. Graças a Deus por Jesus Cristo (Rm 7.25)! Por meio dEle a ira de Deus foi aplacada e a justiça de Deus efetivada (Rm 3.24,25). Mas ao invés de vivermos uma vida de gratidão pela graça e misericórdia de Deus, uma vida de amor e obediência Àquele que nos amou primeiro (Jo 15.16; 1 Jo 4.19), muitas vezes escolhemos os nossos caminhos e fazemos pouco, muito pouco. Nós perdemos o foco do que é eterno, e vivemos a vida aqui sem a perspectiva de que somos forasteiros(1 Pe 2.11). Só que fazer isso torna a vida sem sentido (1 Co 15.19)! Que Deus nos ajude a lembrar da eternidade, e que tenhamos coragem de escolher viver uma vida imita o Deus Santo, Santo, Santo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou opiniões. Lembre-se:
- pode discordar, mas com educação